Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Regresso em força! Ou sem força....

céu cabeça.jpeg

 

É normal a dita depressão pós férias, e embora goste de trabalhar também é verdade que adoro férias. Mas penso que gosto das férias porque trabalho e tenho aquela sensação de merecimento.

 

Agora o que eu não sinto que mereço, é ter um primeiro dia de regresso daqueles em que dá a sensação que algo nos caiu em cima!! É que foi precisamente isso que me aconteceu!

 

Regressei e preciso de ir de férias outra vez... arre!

Mais um esquecimento...

A minha ausência por aqui já é coisa habitual nestes últimos tempos que provavelmente ninguém estranhou mais uma. Mas esta deve-se ao facto de a menina estar de férias e não ter vontadinha nenhuma de escrever! E esqueci de colocar aqui que estou de férias

 

O meu cérebro também resolveu tirar uns dias para descanso, só penso no que tenho mesmo que pensar, o resto fica para depois. Por isso, malta, boas férias para os que ainda não foram, bom regresso para os que já foram e um lamento imenso para os que não podem ter férias para já.

 

férias.jpg

 

 

 

Planeta adolescência


leva istoZits.jpg

 Livro Zits - De Jerry Scott e Jim Borgman

 


Quem tem um filho da idade da aborrecência, mais conhecida como adolescência, sabe o quão difícil é que eles percebam que no planeta dos pais as coisas são para estar arrumadas!


As sapatilhas são para estar na sapateira e não ao lado do sofá, uma em cada ponto cardeal. A mochila é para ser levada para o quarto e não largada no primeiro lugar que surgir. Os livros, depois de lidos, são para se arrumar na estante; as camisolas não são para atirar num local próximo depois de tiradas, mas sim para colocar no cesto da roupa e viradas do avesso … bem, e por aí fora.


Além desses conceitos básicos, também convém que percebam que existem tarefas nas quais todos temos que contribuir! Por exemplo, pôr a mesa, levar lixo e reciclagem, levar o cão à rua e colocar a louça na máquina. Esta última tarefa tem sido um pouco complicada de explicar ao meu ser do planeta distante que é a adolescência. Tentar que ele perceba que quando a máquina está carregada de louça limpa, com ciclo de lavagem mais do que completo, é para arrumar essa louça e colocar a suja para lavar! E não como fazem lá no planeta dele, que é olhar para a máquina cheia de louça para arrumar, fingir que não se viu e colocar a louça suja a encher a banca da cozinha à espera que os paizinhos a arrumem!


E enquanto no início as desculpas “Eu não sabia…”, ou “Eu não vi…”, ou “Não disseste que era para fazer…”, até iam pegando, depois das devidas explicações de, “LOUÇA LAVADA NA MÁQUINA É SEMPRE PARA ARRUMAR e depois colocar lá a suja e NÃO deixar na bancada”, pareceu-me que a mensagem tinha sido entendida e automaticamente traduzida para a linguagem adolescentês!


Mas agora que vem um senão….

 

No outro dia, cerca das três da manhã ouço um barulho de louça na cozinha. Acordo (sim, que a menina aqui deita-se cedo), e penso “mas que catano está aquele tipo a fazer na cozinha a estas horas?! Deve estar a comer antes de ir dormir”. O barulho nunca mais cessava. Batiam copos, talheres, e mais sei lá o quê. E eu a pensar “Mas que raio?!? Isto já vai parar… isto vai já parar… não me vou levantar…” . Demorou, mas lá parou o barulho.


Ao outro dia eu e o pai da criatura perguntamos.

- Ouve lá, o que é que tu estavas a comer para fazer aquele barulho todo ontem de madrugada?

Filho responde na mais profunda indignação. – Pois! Também não estão contentes com nada!!! Então não dizem que é para arrumar a louça da máquina?! Quis fazer uma surpresa e arrumei!”

 

Arrumar a louça às 3 da madrugada??? Enquanto o resto dos habitantes da casa estão no mais profundo dos sonos!!!??? De facto o rapazinho entendeu a mensagem….

 

 

 

O que me afasta de um blogue

 

blogue.jpeg

 

Faz já algum tempo que ando por este bairro blogosférico. Muitos blogues se perderam pelo caminho e outros tantos surgiram. Todos sempre interessantes.

 

Como encontro sempre “casas” muito simpáticas e onde é agradável dar dois ou três dedos de conversa tenho que ter algum critério na selecção. Primeiro, blogues que não interagem comigo não me respondendo aos meus comentários é inevitável que, mais cedo ou mais tarde, deixe de ir lá. Não é por mal, nem que não sejam interessantes, é que eu preciso mesmo da interação! Gosto do retorno. Se este não existe não sei se o lado de lá simplesmente se borrifa para o que eu comento, se é importante demais para se designar a responder-me, se tem só preguiça, ou se simplesmente não está para perder tempo em responder pois a blogosfera é enorme e tem mais o que fazer. Seja como for, para mim, é um motivo de desinteresse e não tenho vontade de voltar.

 

Blogues demasiado descritivos do quotidiano, fazendo de forma maçadora, também passo. Género, Acordei às tantas, tomei banho, sai de casa, fui ao café, apanhei o metro para o trabalho e por aí afora. Desculpem, não dá! Não sou daquelas que gosta do Big Brother. Embora haja quem faça essa descrição de forma interessante e aí já é outra história. Mas nem todos têm o dom de escrever sobre o tema mais banal e torna-lo um quase um “best seller”.

 

Outro motivo que me leva a fugir de alguns blogues é eu ter que provar que não sou um robô escolhendo imagens, e imagens, e imagens,… durante 10 minutos!! Julgo que um robô faria isso melhor do que eu! E já não é a primeira vez que me belisco, na dúvida se serei ou não um robô, dada a dificuldade da prova! Também já não é a primeira vez que desisto e não publico o comentário. Infelizmente muitos desses blogues até são de pessoas que gosto e que aprecio o que escrevem.

 


Dito isto, são tantos os blogues que sigo, tantos os sítios para ir, que me perco! Não tenho tempo para todos e vou-me dividindo, hoje comento uns, amanhã outros. E há aqueles que por mais que o tempo passe, e eu até deixe de comentar durante uns meses, voltarei sempre lá, aos meus Desabafos Agridoces, a minha FlorBytes, a Pimenta e Ouro, e aos primeiros blogues que visitei e me visitaram o Existe um Olhar e Rir é bem Melhor… 

 

São muitos outros que comento mais amiúde mas que a vida não permite que o faça todos os dias. Vocês sabem que gosto dos vossos cantinhos, não sabem?

Sorte, azar ou azelhice?

azar.jpg

 

 

Aqui há uns dias, quando estivemos com obras em casa, foi necessário retirar o varão das cortinas para se poder pintar a parede do quarto, e depois foi necessário voltar a colocá-lo. Ora, na sua recolocação o home da bricolage aqui de casa não apertou bem os parafusos à coisa. E de tantos que mexem na cortina, que inclui, a gata a entrar e a sair para o seu posto de observação na janela, o meu home, para abrir e fechar a janela, portanto, pelo menos duas vezes ao dia, mais o filho que também abre e fecha janela, desvia e recoloca cortina, para dizer aos amigos, que tocam à campaínha, que já vai. De todos eles, que mexem e remexem (sim lembra uma música do Marco Paulo) no catano da cortina, é certo e sabido que a Maria aqui, que apenas roçou ao de leve na dita cuja fosse o suficiente para soltar o varão, preso por uma réstia, em cima da tola!!!

 

Na semana passada ao retirar uma assadeira, para assar um peixe no forno (não é que o peixe seja importante para a história), sento-me num banquinho baixo para retirar a malfadada do armário, coloco-a em cima da bancada e, enquanto levanto e não me levanto do banquito, a cretina da assadeira, cai-me em cima de uma pequena articulação da mão mesmo a pique! Ao ponto de me deixar bem lesionada!!!! Mais uns dias afastada da escrita aqui do meu casebre.

 

Agora perguntam

Mas como arranjas tu essas coisas?

 

Boa pergunta. Nem eu sei.... eu pensei que a assadeira estava bem pousada, que isto ou aquilo não era demasiado pesado e eu não ia deixar cair em cima do pé, ou fazer uma lesão nas costas, que a cortina estava presa, que o chão não estava escorregadio, que....

 

Portanto, meus amigos, enquanto eu estiver ma mesma divisão que vocês estarão seguros, o que estiver para cair, para escorregar, partir ou lesionar é para mim que vai!

Irrita-me

 gato-mal-humorados-1.jpg

 

- Pessoas que não apanham os dejectos dos seus animaizinhos! Depois estão ali os presentinhos e como eu ando a passear o cão olham todos para mim de lado!!!

 

- Condutores que não fazem pisca, ou então o fazem em cima do acontecimento, que vale como se não fizessem

 

- Condutores que não agradecem quando os deixo passar, ou deixo estacionar, ou sair do estacionamento. Enfim... pessoas que pensam que os outros existem para os servir!!!

 

- A falta de camaradagem numa equipa de trabalho!

 

- A desorganização.

 

- A falta de civismo

 

- Os políticos em geral, e o Passos Coelho e Trump em particular.

 

- Não conseguir fazer o que quero

 

- Não conseguir ir visitar todos os blogues

 

- Quando decido fazer um doce, que me apetece no momento, e me falta um ingrediente....

 

- Quando depois de explicar algo um cento de vezes, me dizem "percebi sim senhora! E vou fazer tudinho", mas depois só fazem merda como se eu tivesse estado a falar para o boneco

 

- Quando me esqueço de algo :(

 

- Quando tenho um post na cabeça mas que depois não passa para a tela.

 

- Que a Netflix não actualize as temporadas das séries

 

- Colocar uma série a gravar e não sei porque cargas de água o último episódio não grava!!!

 

E pronto, por hoje acho que é tudo. Ufaa... soube bem o desabafo, já saio daqui menos irritada.

 

Então, e vocês malta, o que vos irrita? Vá, desabafem lá que faz bem!

 

 

 

Ops!

esquecer.jpg

 

No post anterior, o do chá com a Sofia, contei uma história sobre a confusão que deu a falha de memória do meu home. Mas aqui a menina não é melhor.

 

Entre esquecer-me de levar coisas que as colegas me pedem, a fazer telefonemas, a trazer declarações de presença quando vou a alguma consulta, pois tenho que justificar a ausência no serviço, e depois toca a pedir para enviarem a tal declaração por correio eletrónico. Eu sou uma desgraça! E estou cada vez pior!

 

Felizmente vão-me valendo as benditas aplicações de lembretes que existem no telemóvel, que eu uso exaustivamente. Mas há coisas que são imediatas e não dá para colocar lembrete. Até porque às vezes também me esqueço de colocar o lembrete... mas adiante. Uma dessas coisas foi o que me acontece há uns tempos.

 

Na sala de uma colega, que era contígua à minha o telefone estava avariado, então algumas chamadas importantes eram passadas para o meu gabinete e eu chamava a colega para vir atender.

 

Um desses telefonemas foi de uma outra colega que estava fora do serviço e precisava falar com urgência com a amiga da outra sala. É necessário dizer que nem uma, nem outra, tinha o telemóvel funcionante.

Lá fui eu atender o telefone.

 

- Está? Olá Lina, podes chamar-me a L. que preciso mesmo falar com ela?

Eu, toda solicita, respondo - Claro que sim!

 

Quando vou para sair, para cumprir a minha missão, aparece alguém para me perguntar qualquer coisa (que já não lembro, hehehehe) , e passou-me completamente a tarefa que tinha em mente!!!

 

Passadas horas, entra a  L.  na minha sala, olha para cima do armário, onde estava o telefone, e diz.

- Olha! Tens o telefone fora do descanso! Assim alguém pode querer ligar e não consegue!

 

Eu olho para ela e a minha expressão ficou congelada num gigantesco

 

OPS!!!

Educação Sexual para todos

aculpa.jpeg

 

Dei por mim a pensar num assunto que julgo de alguma pertinência, embora alguns o encarem como polémico.

 

Existe desde há uns anos educação sexual nas escolas, normalmente incluída na hora de “Educação Cívica”, e segundo a opinião do meu filho é falado sempre o mesmo. Todos os anos falam sobre a biologia e a técnica da coisa, algo que já faz parte dos programas das disciplinas de Ciências e Biologia, mas esquecem o mais importante, os afetos, como lidar com a pressão, como lidar com o sentimento, como gerir todo o turbilhão de emoções próprios da idade e a quem pedir ajuda, se for caso disso. Ademais, esquecem também de evoluir a explicação consoante a idade. Um adolescente do 7º ano não tem o mesmo desenvolvimento mental de um adolescente do 9º, ou 10º anos.

 

Dá-me ideia que em muitos casos se pede a um profissional de saúde que vá à escola falar sobre o tema, esse profissional faz uma apresentação em Power Point , conta mais uma sessão de apresentação no programa de saúde escolar, onde o número de apresentações é sempre muito importante, porque todos sabemos que o que é importante são os números. Mas depois não há seguimento, a sessão é isolada. Pode, eventualmente, até existir mais do que uma sessão mas sem grande aprofundamento. E pronto, já foi feita educação sexual e professor e profissional de saúde respiram fundo.

 

Mas e será que os alunos respiram fundo?

 


Não é o sentimento que me passam os adolescentes com que contacto.

 


Além disso, há outra parte muito importante que é esquecida, e aí sim, muitas mentes explodirão!

E para os adolescentes cuja homossexualidade se está a manifestar?

O que é feito?

Será que por serem uma minoria não merecerão a dita “educação sexual”?

Estamos no séc. XXI onde o casamento com pessoas do mesmo sexo é permitido, mas ainda falta muito para que exista aceitabilidade e inclusão dessa minoria.


Lidar com a descoberta de que se gosta de alguém do mesmo género sexual não é fácil nestas idades, até porque existe o menosprezo por parte dos pares, e muitos ficam com um nó na cabeça.

Será que não os poderíamos ajudar?

Será que incluindo esse tema na educação sexual nas escolas e encarando-o naturalmente, como deve ser feito, não seria melhor para todos?

Diminuiria o menosprezo, o bulling, a exclusão e os preconceitos.


Provavelmente vale a pena pensar nisso.

 

 



Arca de Noé

Bem, quem me conhece sabe da minha doideira pelos animaiszinhos deste mundo. E qualquer coisa me serve, desde osgas, como a que apareceu em casa e da qual falei  num post. Caracóis, esses danados que me estragam as plantas. E por aí fora...

 

Os que posso fico com eles, e, neste momento, andam cá por casa um cão, uma gata e um gato, este último um pouco vadio. Fora os que já andaram, embora durante um tempo limitado, e aos quais  arranjei dono, já que é impossível ficar com todos, mas o que importa é que tenham um lar.

Bem, decidi juntar à conta dois peixinhos, o Chico e o Jaquim.

 

Claro que todos me diziam que a gata ia comer os peixes. Mas o que aconteceu foi isto

 

 

 

 

 A Gata interage com os peixes e eles com ela, sem medo nenhum!!! Um dos peixes ia borbulhar ao focinho dela, infelizmente sempre que me disponho a filmar eles acabam com a cena...

 

Ela bebe água do aquário e adora dormir perto dos seus novos amigos. E atenção que ela nunca ia para ali!

Micadormepeixes.jpg

 

E é assim. Na minha casa os gatos são amigos do cão, e este adora os gatos. E como se não bastasse a gata é amiga dos peixes! Sempre a surpreender!

 

 

PS- Não tenho conseguido visitar os vossos cantinhos como queria, e por isso, também não tenho publicado nada aqui. Mas penso em vocês muitas vezes

 

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D