Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Vestuário domingueiro

Hoje, dei por mim a olhar com atenção para a  indumentária dos transeuntes...

 

Reparei num pormenor, a maior parte das pessoas andava de calções ou fato de treino, chinelos de meter o dedo ou sapatilhas e tendo em conta que não estavam a ir para a praia nem a praticar desporto era um pormenor interessante!

 

Para os meus avós e até meus pais, a roupa de domingo deveria ser a melhor! Talvez porque eram pessoas do campo, habituados à labuta na agricultura com vestes cheias de pó e ao domingo (dia de folga) o vestuário revestia-se de significado... era como se toda a semana fizesse sentido, como se aquela roupa indicasse que o descanso foi merecido.

 

Mas se pensar bem, provavelmente vestir calções e chinelos de praia  (mesmo que esta esteja a quilómetros) e fato de treino (mesmo que o único exercício que se pense fazer será o de levantar os talheres do prato) talvez também indique para as pessoas que vestem "roupa domingueira" toda a semana sintam que aquele tipo de vestuário os liberta de obrigações.

 

Eu por vezes dou por mim com  uma certa  nostalgia da "roupa domingueira" ao domingo...

Aulas de condução??! Mas eu já sei conduzir!

Tenho alguma dificuldade em perceber o que alguns condutores aprenderam nas aulas de condução!

 

O meu instrutor, era muito exigente.

- "faça a perpendicular" - e tinha que ser feita, quase parecendo que tinha usado um esquadro

 

- "pare na passadeira para deixar passar os peões" - nem que estes ainda viessem a uns 500m da passadeira e não se soubesse se a intenção deles era a de a atravessar

 

- "ponha as duas mãos no volante, com polegares a apontar para fora e afastadas" - os polegares a apontar para fora tive alguma dificuldade em compreender, mas ele dizia que era para eu não me agarrar demasiado ao volante e poder movimentá-lo com mais facilidade (ele lá sabia)

 

- "faça o  sinal luminoso para esquerda antes de um obstáculo na via" - que podia ser um carro, um caixote, ou qualquer outra coisa que estivesse a reduzir o espaço da minha via

 

- "faça o sinal para mudar de direção, antecipadamente" - ok! ok! Eu faço o "pisca"

 

 

 

O que vejo agora são senhores condutores que, ou devem querer nova pintura e/ou querem oferecer uma, já que fazem tangentíssimas, porque não sabem o que é uma perpendicular! Ainda não me pagaram uma pintura, mas já me pregaram uns bons sustos e a minha cervical anda a queixar-se das travagens que faço à última para não bater.

 

E os "piscas"? É um fado! Ou:

 

1 - Não fazem o "pisca": E eu que adivinhe se querem parar. Virar à esquerda ou à direita. Sair do estacionamento. Entrar no estacionamento... Enfim... são do tipo que acham que o pisca é um acessório sem serventia no automóvel, por eles até o podiam tirar e por lá um catavento que ia dar ao mesmo
2 - Fazem o pisca, mas em cima do acontecimento. O que vai dar ao mesmo mas se bates... "eu fiz o pisca, pá!"

3 - Andam sempre com o pisca ligado. Na autoestrada, na via rápida, nas estradas nacionais... não se vá dar o caso de precisarem e assim já está!

 

Parar na passadeira!? Que é isso?

Já vi muito boa gente a ficar com a roupinha amarrotada porque, o condutor que vem atrás "na sua" não sabe porque cargas de água o "gajo" da frente resolveu parar nas listas brancas paralelas, que por acaso estão na estrada mas até podiam estar em outro sítio. E vai daí dão com alguém sossegadinho que resolveu (não sabe o dito condutor porquê) passar à frente do "gajo" que resolveu parar antes das tais listas brancas!

 

Quanto às duas mãos no volante...Já vi:

uma mão no volante e outra estendida ao sol,

uma mão no volante e outra no cigarro,

uma mão no volante e outra no telemóvel,

uma mão no volante, uma perna na janela e a outra em cima da perna, (a sério)

uma mão no volante e outra nas mudanças, sempre! Mesmo que não seja provável mudar de velocidade nos próximos 100 km.

uma mão no volante e outra, nem quero saber onde.

 

Eu por mim fiquei com o "trauma do instrutor", (se não existe passa a existir, é só mais um!) e sempre que tiro a mão do volante só ouço aquela voz possante "Ponha as duas mãos no volante". E olhem que às vezes bem me apetece tirá-la, mas a minha boa educação não o permite... eu bem tento, mas o meu tento não consegue...

Música ambiente

Pensei que podia dizer que tenho um certo "gosto" musical eclético mas ontem descobri definitivamente que não! Algo que até comecei a desconfiar quando fui a um certo Centro comercial entrei numa loja, para comprar uma roupita que precisava, e a música ambiente fez com que perdesse a vontade de querer experimentar mais roupa... fiquei sem roupa e com uma certa dor de cabeça! Entrei em outra loja e lá estava ela! A tal música ambiente, mas desta vez com um "chungla chungla" mais alto ainda!! Fugi dali, sem roupa e com dor de cabeça definitiva.

 

 

Mas o meu limite de "música ambiente" foi atingido ontem.

À hora de almoço ao passar por um McDonald's, um daqueles de rua, resolvemos parar e comer. Não que aprecie a comida, mas estava mesmo com fome e como estava um sol lindo e cá fora as mesas cobertas por um guarda sol à beira de um jardinzito tornavam o espaço agradável e convidativo, seria um bom local para relaxar um pouco. E com Hambúrger à frente, bem sentados, começou a tortura! A música ambiente! Meu Deus! Nem um disco de vinil bem riscado conseguiria fazer jus a tamanho barulho acompanhado de som musical!! Sim porque era isso. Engolimos o hambúrguer o mais depressa que pudemos para fugir ao "chungla chungla". Lá se foi a ideia de comer sossegados em mesinhas de jardim...

 

 

Mas a epopeia musical não acaba aqui. A minha boleia para casa resolveu testar-me e pôs  a tocar um CD maravilhoso com algumas músicas, como: "vem às duas da manhã... ei!", "quem perdeu... foste só tu... e só tu e nunca eu" e por aí fora. O meu limite foi atingido com a música "Anel de Noivado", que é assim "A igreja estava toda iluminada...". Aí, apeteceu-me abrir a porta do carro e atirar-me, não fosse o meu bom senso de pedir ao meu companheiro de viagem que fizesse o favor de retirar a iluminação da igreja que já me estava a por a suar!!

Eu Já devia ter descoberto há mais tempo que não tinha gosto musical eclético sempre que ouvia o "rumba .. rumbubaaa" da Lady Gaga e mudava de estação de rádio a correr antes que me ficasse no ouvido e me perseguisse o resto do dia! Eu bem tento gostar mas meu tento defenitivamente não consegue...

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D