Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Que vista tão bela!

Perdi a conta das inúmeras vezes que paro o carro em qualquer miradouro ou beira de estrada, seja para vislumbrar a paisagem ou para esticar as pernas, e sou brindada com algum cheiro nauseante ou depósito de lixo que me faz entrar no carro e esquecer que vivem neste Mundinho pessoas capazes de estragar um simples prazer!

 

Será que não poderão aliviar as suas necessidades num WC? Aqueles que até têm um recipiente de porcelana próprio para o efeito!

Será que lhes faz assim tão mal guardar a lixarada num saquinho dentro do carro e colocá-la num contentor quando avistarem um?

Será que lhes faz assim tão mal terem um pouco de civismo?

Será que lhes fará assim tão mal pôr os neurónios a funcionar de forma positiva?

 

Até pensei por aqui uma imagem elucidativa, mas achei que não valia a pena. Encontram disto, infelizmente, em muitas beiras de estradas e muitos miradouros! Até já cheguei a encontrar numa visita a um Castelo!

 

O meu tento bem tenta compreender linguagem e a mente de pessoas sem uma pinga de respeito pelo outro! Mas o meu tento não consegue!

 

A fazer, que seja em grande!

Gosto de folhear o Jornal ao fim de semana, às vezes só leio as "gordas" e paro para ler algumas notícias que parecem chamar-me. Desta vez cedi ao chamamento de uma reportagem feita por Isabel Sottomayor (no jornal Público), o texto falava de pequenos furtos que podem arrastar-se durante alguns anos (o que não é novidade) nos tribunais e que comportam somas importantes quer para o Estado  quer para os criminosos.

 

 Entre algumas histórias, verídicas, ali descritas está a de uma reformada que TENTOU furtar um frasco de descafeinado no valor de 2,98 euros! A dita senhora foi condenada a uma multa de 540 euros mais as despesas do processo. Sominha feita 642 euros!! Claro que como não podia pagar tal soma, depois de apresentar os comprovativos foi dispensada  do pagamento das despesas do processo, mas não se livrou da multa.

Toma! Que é para aprender! Quem manda querer dar-se ao luxo de beber descafeinado? É beber leite quente! Ou há falta deste, água morna. Bem, e como o gás está caro e a eletricidade também, é mesmo melhor beber água fria! Mas, aguinha da torneira porque ou estou enganada ou a engarrafada vai passar para os 23% de IVA.

 

A reportagem faz referência a um artigo, o 203º, do Código Penal que é super interessante, refere que: "qualquer furto mesmo que na forma tentada, é punível com uma pena que pode ir de multa até três anos de prisão."

 

E eu que pensava que a nossa Justiça não funcionava bem! Hã?

 

Cheguei com isto a uma conclusão, que penso evidente, quando se quer fazer algum furto, ou algo parecido, que seja EM GRANDE! Porque assim temos a certeza de não sermos punidos (como deveríamos)!

 

Do género, criar buracos orçamentais do tamanho da Lua; pegar no dinheirito dos nossos impostos e aproveitá-lo como queremos, sem nos importarmos se é nosso ou não; meter ao bolso e fazer umas falcatruas ir passar férias ao Brasil, e dizer que estamos foragidos, só para enganar, voltar e ser eleito Presidente de uma qualquer Autarquia; arrastar processos até que prescrevam (engraçado como estes GRANDES prescrevem sempre); andar metido em casos bicudos do conhecimento de todos mas a que todos fecham os olhos... Ah! E claro concorrer às Autárquicas da Madeira, porque aí é que se tira a pós graduação em grandes "empreitadas" furtivas! Ou será o Doutoramento?

 

Mas, tudo isto existe, tudo isto é triste, tudo isto é  fado....

 

O meu tento quer fazer orelhas moucas a estes chamamentos jornalísticos, mas o meu tento não consegue!

 

Silêncio que se vai cantar o fado. Cuja letra é examente o sentimento que tudo isto evoca...

 

O que nos ilumina

Amei-te ainda em flor,

Amei-te quando o meu olhar acariciou o teu corpo

sentindo-me agraciada por tal privilégio!

Mas o meu amor por ti não cessa de crescer a cada momento que te sinto.

Os meus braços alongam-se para te proteger,

sabendo que um dia vais voar sozinho

E eu assistirei ao teu prodigioso voo

dizendo alto e baixinho,

"vejam" é o meu filho!

Claro filhote só tu me farias ouvir esta música.... deixa ver...perdi a conta :)
Que consigas com o teu violoncelo tocar como estes teus ídolos violoncenistas eu estarei sempre na bancada com um sorriso ENORME, (mesmo que desafines ;))
Porque o meu tento bem tenta , mas não consegue deixar de ser mãe galinha
E assim EM GRANDE (para mim, claro) dou por terminada a minha tarefa musical para esta semana

PÕE-ME ISSO BAIXO!!

Quem na sua adolescência não ouvia a música do vídeo, que pus para hoje, com o volume quase no máximo ou era muito certinho ou tinha uns pais como eu, que não estavam pelos ajustes com a necessidade imperiosa que o meu ser tinha de "botar para quebrar" ;)

 

Ainda me lembro como se de hoje se tratasse... O meu tio estava a ver o programa TOP+, que ainda passa na RTP aos sábados, e eu entrei na cozinha e fui assim apresentada as maravilhas dos Queen. Fiquei simplesmente vidrada no écran. Claro que os meus pais preferiam que esta apresentação nunca tivesse acontecido!
Mas esta música não pode ser ouvida como uma melodia qualquer! E muito menos com o som baixo. Acho até que quem o fizer pode estar a incorrer numa qualquer profanação!
Mas agora que sou mãe acabo por entender os meus pais, a capacidade auditiva do cérebro vai diminuindo com a idade!
Também é comum ouvir-se cá por casa "PÕE-ME ISSO BAIXO!!". Mas, felizmente, ainda não estou assim tão velha porque esta música eu ouço nas alturas e ajudo o meu filho  tocando a minha guitarra a fingir enquanto ele fica na bateria!
Esta música dedico aos ouvidos de todos os pais, especialmente aos dos meus ;)
O meu tento deixou os meus ouvidos de mãe de lado e vai ouvir e ver este vídeo como se deve!
Ponham as colunas no máximo, chamem os vossos filhos, se os tiverem, senão façam-no sozinhos e toquem... NOW

Quem se lembra?

Continuo, então, com a empreitada do meu blogue para esta semana.

Quem se lembra deste querido bonequinho que era uma delícia?

Vamos refrescar a memória...

 

A hora de ir para a cama das nossas crianças já não tem aquele horário de alta deferência nos nossos canais televisivos. Será por isso que não interiorizam que o dia já acabou e vai sendo hora de dormirem?
Topo Gigio era um ratinho, nascido em Itália, que fazia as delícias de crianças e adultos, o meu mano era pequeno e adorava-o, eu tinha 9/10 anos e ele também faz parte das minhas memórias infantis. Mas ele não só cantava a "canção do soninho" (com eu lhe chamava) como também entretinha a pequenada, tinha um horário nobre e era esperado ansiosamente. Parece que nem dormíamos bem se não o víssemos...
Foi depois substituído pelo Vitinho (cuja música cantei ao meu filhote, para adormecer, introduzindo algumas variações na letra)
Os Patinhos vieram a seguir.
Mas aquele ratinho ainda hoje me faz derreter e sorrir.
Esta música é dedicada à criança que cada um traz dentro de si e se esquece dela mais do que deveria! E claro, para o meu querido mano que fez com que eu ainda apanhasse as criancices dele na minha adolescência, já que dez anos nos levam de diferença... (o que eu tive que aturar de "Rua Sésamo";))!
O meu tento hoje resolveu  divertir-se, mais uma vez, com o Topo Gigio
Ps- o meu agradecimento ao desenhosanimadospt.blogspot.com por ter disponibilizado este vídeo no Youtube (claro:))

O que a música transmite...

Continuando com a minha ideia para esta semana, decidi hoje por outra música que fez história cá no nosso jardim à beira mar plantado! Não porque eu seja uma revolucionária mas porque sou alguém que preza a liberdade, seja ela no sentido em que a própria palavra evoca, quer num sentido mais intangível. "Grandola Vila Morena" é uma daquelas músicas que me emociona,  porque ela transmite a liberdade e me lembra que hove quem lutasse (luta) pela liberdade!

Sei que algumas coisas não correram como se esperava... mas houve muita gente que acreditou, livre de qualquer ideias politicas mas com ideais baseados na igualdade, (embora agora existam uns mais iguais que outros)  numa sociedade livre e com riqueza de cultura.

Há muito quem esqueça que se  lutou pela liberdade que temos hoje (atenção LIBERDADE e não libertinagem, como muitos confundem). Eu não esqueci e o meu coração também bate forte ao lado de muitos ao ouvir esta música....

Claro que esta canção vai ser dedicada a todos os que lutam pelo ideal de Liberdade, Justiça e igualdade! Também é dedicada a duas pessoas muito especiais e que tenho o previlégio de fazerem parte da minha vida e que eu adotei como segundos pais quando me casei. Eles também lutaram pelos seus ideais livres de política.
Acho que hoje o meu tento, tentou e conseguiu falar um pouco de liberdade! Para dar um pouco de luz a este tempo tão cinzento ;)

Música da alma....

A música faz parte do ser humano talvez desde que ele existe! A música a par com a pintura, e sendo ela uma arte, é o alimento da alma!

Desde um simples batuque até à 40ª sinfonia de Mozart. Ela transmite o nosso estado de espírito, aquilo que somos, aquilo que queremos, aquilo em que pensamos, o nosso ser....

Serve para começar revoluções para dizer aquilo que as palavras não podem ou não conseguem... Serve para nos por de bom humor, pôr-nos a cantar o (raio) de uma letra que encrava (tal como algumas frases) na nossa mente. Ou então a fazer-nos ir quase com o carro à valeta para mudar de emissora sempre que toca algo que não suportamos (Lady Gaga e o seu "rumba..rumbaa" ou os Trio Odemira e o seu "anel de noivado)

Sem música (e sem chocolate;)) o mundo não seria o que é! Arrisco-me  a dizer que o mundo não seria mundo se a música não existisse!

Por isso, esta semana, o meu tento quer homenagear a vida, a arte e algumas pessoas que fazem parte da minha vida e que tal como a música lhe deram sabor!

Poderia existir se não fossem elas? Poderia! Mas não era a mesma coisa ;)

 

 

Esta é uma daquelas músicas que se não a pusesse aqui o meu blogue não faria sentido! "E depois do Adeus" foi cantada por Paulo de Carvalho no Festival da Eurovisão da Canção (acontecimento ansiosamente esperado por todos, agora é mais as galas de "Reallity Shows" marados) num ano muito importante -1974- 
Além disso é uma música que uma grande amiga minha gosta! Dedicada a ti, especialmente, L.M. e a todos os que prezam a música que faz história.

Cavaleiro...

Existiram  alturas da minha vida em que precisei de ser eu o cavaleiro, olhar em frente, agarrar a vida sentindo-a e não deixando que ela me escape como teima tantas vezes em fazê-lo... mas de quando em vez gosto de me sentir a tua donzela! Sentindo que minha alma ganha força perdendo-se em ti...em ti meu cavaleiro, de cavalo de pau, e em ti me deixo conduzir sabendo que nunca mais estarei só...porque tu estarás sempre em mim...

E nada melhor que a música para ilustrar o que as minhas palavras teimam não conseguir dizer


O meu tento quer agradecer-te por estares "lá", sempre que eu preciso de um cavaleiro....sei que não preciso de fazê-lo, mas o meu blogue fica mais bonito assim :)

Intemporalidade indesejável

Hoje ao ouvir esta música, dos  "Quinta do Bill",  que tem alguns anitos (17anos), ficou uma questão na minha mente "Portugal já está mal há algum tempo, porquê se deixou que as coisas chegassem a este ponto?! Porquê?"  Como se tem dito por aí  "Portugal viveu acima das possibilidades".... mas então o ato de votar não será também um ato de confiança? Confiança nos que são eleitos para gerir tudo o que é "nosso"? ....Muitas questões, mas aqui fica a música e letra,

Letra: Os Filhos da Nação

Aqui estás tu, jovem atento
acordado neste fim de século
à espera de um lugar
difícil de encontrar
no canudo vive a esperança.

Atrás das luzes em vertigem
ao medo da noite decente
que tens que conquistar
tu tens de conquistar


Ai estes são os filhos da nação
adultos para sempre
ansiosos por saber
se a cruz é salvação

Pões as cenas sem nada para temer
velho cúmplice da decisão
presa é uma ordem
que não podes quebrar,
o desfacinado ofício da vitória

A fúria de um monólogo
que insiste em partilhar
mas não entendes porquê
mas não entendes porquê 

Eu tento entender porquê, mas o meu tento não consegue :(

Pág. 1/3

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D