Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

A imperfeição do SER

Um número razoável de pessoas tem, digamos, uma determinada obsessão pela perfeição. Esta preocupação contínua está, muitas vezes, presente desde o nascimento.

 

Os pais, compreensivelmente, esperam que o filho seja perfeito, e de forma inconsciente incute-se esta ideia. Espera-se que o nosso filho ande cedo, que articule as primeiras palavras a uma certa idade, que coma bem, … enfim um certo número de características que fazem das salas de espera do pediatra uma rivalidade entre mães, onde é frequente ouvir-se, “mas o meu já faz isto, e já fala” (nem que só emita sons verdadeiramente imperceptíveis), e a pobre mãe preocupada porque o seu filho ainda não atingiu a “meta” programada pergunta-se se alguma coisa não estará “perfeita”.

 

Esta “perfeição” também é esperada na Escola, quer pelos professores, que querem alunos caladinhos, com boas notas, e a fazerem aquilo para que estão, ou deveriam estar, programados e até pelos próprios pais (muitas vezes pressionados). E quando existe algo fora dos parâmetros “ditos normais” já é um “ai Jesus”, para a pobre da criança, que se vê num sistema onde não corresponde ao esperado, e para os pais que começam a massacrar as suas cabeças, e claro, a cabeça do filho, para que atinja algo, que alguma cabeça iluminada dita como “normal e esperado”, como “perfeito”, ou seja, a individualidade da criança não é de todo respeitada.

 

E a mania da perfeição continua pela vida, aplicamos este estigma a quase tudo. O dia do casamento tem que estar perfeito, nada pode fugir, e se isso acontece, teremos uma noiva em stress (isto dá mais às noivas;)) uns pais em stress, e lá se vai o momento que deveria ser “perfeito”!

 

As relações, também, têm que ser perfeitas, e esta fixação conduz a muitas separações, porque simplesmente se criou uma imagem impossível da vida em conjunto. Quebra-se ilusão e a paixão. Só o amor e a consciência da realidade prosperam.

 

Reparei, com a rotineira pergunta “Então como foi esse Natal?”, que a perfeição é algo que está tão intrincado, que no seu culminar, destrói toda a magia de um momento que tinha tudo para ser perfeito, se não esperássemos dele mais do que ele nos pode dar. E vi isso pelas repostas à minha pergunta,

- É… passou-se…

Caramba! Mas passou-se bem ou mal?

Passou-se! Não foi perfeito.

Não foi perfeito porque não estavam os filhos todos juntos, uma vez que muitos estão casados e tiveram que se dividir pela outra família. Não foi perfeito porque se ficou em stress para que tudo corresse bem, e esqueceu-se assim de viver o que tinha à frente. Não foi perfeito porque, sei lá, uma série de desculpas que damos para não viver o SER.

 

Não preciso de ser cartomante, nem de saber ler os astros, para dizer que 2012 não será perfeito! Não será perfeito nos 366 dias que irá ter!

Mas se quisermos, e esquecermos todas as suas imperfeições poderemos simplesmente SER…

 

Poderemos “SER” para deixarmos de SOMENTE existir em 2012!

 

Para quem passa por aqui, silenciosamente, ou deixando-me um miminho com o seu comentário, o meu tento deseja com toda a plenitude que o vosso 2012 vos faça “SER” e não somente existir! Vos faça apreciar os momentos não buscando a perfeição mas sim a sua simplicidade! Lembrando sempre que a imperfeição do SER também faz parte da nossa essência.

 

 

 

Um grande sorriso.

Esquecendo que se trata de um anúncio publicitário este vídeo vale a pena ser visto até ao fim, já que acaba de uma forma surpreendente, demonstrando o verdadeiro espírito Natalício...

 

Pois... o que verdadeiramente importa é o que damos. E não estou a falar em bens materiais, estou a falar no que damos de nós mesmos, o que oferecemos ao outro, seja uma amizade desinteressada, companheirismo no trabalho, amor, carinho,... ou um simples e singelo sorriso

 

Para todos os que aqui passam e deixam os seus comentários, para os que agora chegaram numa passagem fugaz um grande e pleno sorriso meu

 

Porque um grande sorriso é o melhor enfeite, e o presente mais valioso no Natal =)

 

Que o vosso tento sorria! ;)

 

L.Maria

 

PS- Vou deixar o meu blogue, assim, sorridente e desligar a minha "antena" por um tempo ;)

Tempo de paz...

Esta semana queria que o meu artigo sobre o  Natal ficasse lá, a embelezar o meu espaço para quem entrasse se sentisse invadido pelo espírito Natalício. Mas não deu...

 

Primeiro foi o nosso Primeiro Ministro a dar sugestões que causaram um reboliço. O homem não poderia estar caladinho?

Para mim a sua sugestão foi o mesmo que dizer - "Ponham-se a milhas enquanto podem! Saltem do barco que isto vai ficar mau!"

Não percebo o porquê de tanta chatice, o homem até foi bonzinho, deu um aviso para se porem a mexer antes que não haja volta a dar, cortou o mal pela raiz! A bem dizer, acabou com as falsas esperanças e as expectativas  que existiam de uma educação frutífera, com turmas menores, enfim, uma educação vista com um olhar de investimento no futuro. Não me venham com a treta de professores a mais! Não enquanto eu vir turmas de 28-30 alunos no básico e até no secundário!

 

Segundo foi a notícia de alunos, que na Grécia, desmaiam com fome, a qual não pude de forma alguma ficar indiferente. Podem também virem dizer-me que é alarmismo. Mas uma coisa vos afianço, os casos vão-se repetir em Portugal. Encontro muita gente já sem o pequeno almoço tomado e a poupar na alimentação. E não é a deixar de comprar coca-cola ou leite achocolatado.

Bem, neste caso também poderemos dizer que o que se está a travar é uma batalha contra a obesidade. O problema é que enquanto uns ficam obesos outros já não sabem que fazer ao esqueleto...

 

A seguir vem o nosso Ministro das finanças "Slow Motion" (para os in) ou "Camara Lenta" (para os verdadeiramente portuga, sem medo de o ser) dizer que não são necessárias mais medidas de austeridade, "inté ver"! Pois... inté ver para crer!!!

Porque a seguir vem o FMI dizer que há pouca margem para corrigir eventuais desvios. Atenção! Por eventuais desvios estará a referir-se aos buracos da Madeira e a outros que tais? Então vos digo estamos mesmo....

 

Eu tentei que o meu blogue ficasse Natalício, eu juro que tentei, mas o meu tento não conseguiu! =(

Quando é Natal?

Acontece-me com frequência um determinado aroma, ou um determinada melodia escancararem portas entreabertas das minhas recordações. Lá, estão guardadas lembranças, que surgem então despertadas e bem vivas. São momentos a que lhes fui somando novos mimos e que no seu conjunto completam um pequeno espaço de tempo.

 

Nesses pequenos instantes, nesses momentos, está o Natal!

As iluminações nas ruas e nas montras das lojas começam, na sua grande maioria, em Novembro, e muitas das vezes, no inicio do mês! Mas ainda falta muito para o Natal e eu não o sinto. O seu instante ainda não foi despertado.

 

Há coisas simples, e que encerram uma certa nostalgia que me fazem sentir que "ele" já chegou.

É Natal quando passeio na Rua de Santa Catarina, no Porto, e vejo o burburinho e sinto o cheirinho a castanhas assadas, quando ouço o som de melodias natalícias que sopram de dentro das lojas.

 

Mas existem outras trivialidades que estão para o Natal como a canela para as rabanadas. Por exemplo ainda não é Natal enquanto não passar um dos filmes da saga "Sozinho em Casa". Ainda não é Natal se não ouvir a melodia "All I Want For Chirstmas Is You" da Mariah Carey  que é, tão, tão, "pop pimba", mas que me faz dançar e me faz sentir que é Natal. Claro que esta melodia não é a única que pertence aos tempos que ficaram e que ainda existem, é sempre acompanhada da não menos "pimba"  "Last Cristmas" de George Michael.

 

Todos os aromas, todos os sons, filmes, jantares Natalícios, jogos de tabuleiro em família, risadas doces, beijos repenicados e olhares iluminados completam uma época de lembranças adormecidas que voltam a harmonizar-se e a fazer-me sentir que, sim! Ele já chegou!

 

O meu tento não precisa de dia marcado para sentir que é Natal! E que ele entrou, escancarando a porta...

 

Beijos repenicados e com aroma de canela para todos os que aqui deixam um pouco do seu tento! E que sentem que o Natal está aí! E ilumina os nossos rostos, basta senti-lo com o coração da criança que somos e do adulto que gostamos de ser.

Feliz Natal da Golimix ou L.Maria

Planeta "Azulzinho"

A poluição e o efeito de estufa são tormentos que têm dado voltinha aos córtexes cerebrais de muitos, bem intencionados, cientistas que desenvolvem e propõem modelos, onde há falta de melhor, são os aceites. São estudos recentes, mas o problema também!

 

Pode-se comparar os climatologistas aos economistas (já que estamos numa de crise), uma vez que o seu objetivo consiste em estabelecer relação entre dados existentes mas sem poderem, por exemplo, lançar a proibição da circulação de automóveis ou parar com a produção de carne de vaca (grandes emissoras de metano, causador de efeito estufa) durante 10 anos para verificarem quais seriam os benefícios em termos ambientais!

 

Gerou-se agora um bulício à volta do Canadá que anunciou, formalmente, a sua retirada do acordo de Quioto. Esta questão sobre poluição, efeito de estufa versus economia, é pano para muita, mas muita manga...

 

Deixo a sugestão de um livro, para quem ainda não sabe o que pedir ou o que dar no Natal (já agora), o Super Freakonomics de Steven D. Levitt e Stephen J. Dubner que abordam estas questões de uma forma interessante.

 

 

Quanto a mim que não sou cientista, nem economista, nem tenho interesses económicos ou um País para gerir, vou fazendo a minha parte, com ou sem acordo de Quioto. Faço reciclagem, religiosamente, tenho lâmpadas económicas, evito carne de vaca, (aliás não como muita carne, sou mais de doces), desligo o carregador após telemóvel carregado,... enfim uma séries de coisitas simples que somaditas darão o meu valioso contributo para que o nosso planeta continue com um azul límpido em vez de um azul embaçado.

 

E com ou sem acordo o mundo deveria começara a pensar nestes pequenos problemazitos, para não deixar a porta aberta e quem vier atrás que a feche! Isto se ela se conseguir fechar daqui a uns anitos.

 

O meu tento tenta ser ecologicamente saudável  e até vai conseguindo. E muitos tentos...

Despertares!

Revi um filme, daqueles filmes que nos fazem pensar no verdadeiro sentido da vida. Daqueles que acordam algo que precisa de se espreguiçar ruidosamente.

"Despertares" retrata a história verídica, do médico Malcolm Sayer, interpretado por Robin Williams, contando também com a maravilhosa interpretação de Robert De Niro para o papel de Leonard, um doente catatónico. Este filme demonstra a força da alma humana e toda a ternura que nela habita. Mostra o despertar da verdade que esquecemos  muitas vezes, mais do que as desejáveis, o que verdadeiramente importa na vida!

 

Vivemos sempre em função do amanhã e esqueçemos de viver o presente! O amanhã ainda não chegou e não sambemos o que ele contém...

 

Julgamos demasiado o outro sem saber que "nós" somos o outro! Nós somos aquele idoso que atravessa vagarosamente a passadeira e nos atrasa a passagem, somos aquele doente que não consegue falar nem ouvir, que está ali, mas não está. Somos aquela pessoa que sofre por dentro sem saber porquê, somos aquele senhor que tombou ao nosso lado agarrado ao peito, somos aquele que estaciona mal o carro porque está com pressa de buscar o seu filho, somos aquele que tem pressa de viver... Estamos tão perto  do outro e ao mesmo tempo julgamos que estamos longe, acreditando funestamente que ganhamos se o outro perde...

 

Os outros... nós... temos que despertar para o que realmente importa! A amizade, o amor,sorrir,... as coisas simples da vida que muitas vezes complicamos.

 

Será que trabalhando mais trabalhamos melhor?

Será que abafando a nosso ser que precisa de liberdade, seremos melhores?

Será que vivendo a correr, vivemos mesmo?

Será que estamos realmente acordados para a vida?

Será que precisamos de algo que nos acorde?

 

Existem relatos de pessoas que ao passarem por experiências de "quase morte" passam a apreciar o que realmente importa. E a imensidão de problemas que antes os atormentavam passam a ser desprezíveis para quem acordou, acordou para a vida! Passa-se então a olhar para tudo com mais avidez, com mais deslumbre. Deslumbre para o que antes esteve sempre lá, mas não se viu. No entanto alguns voltam a adormecer, a esquecer, voltando a julgar, voltando tomar tudo como garantido!

 

Porque será que nos esquecemos de acordar?

 

O meu tento não quer adormecer para vida, quer despertar por longos momentos!

As gordas!

Não. Não vou falar sobre excesso de peso, e se o fizesse nunca começaria com este título.

Chamo "gordas" aos títulos das notícias no jornal, e aos quais passo uma vista de olhos parando só no que me chama mais a atenção, ou naqueles artigos sobre os quais aprofundo a minha leitura.

 

Esta semana foi  cheia de "gordas", muitas delas sobre as quais dariam um bom artigo aqui para o meu estaminé.

Por isso, hoje decidi por aqui algumas notícias que me chamaram a atenção e sobre as quais, por falta de tempo, não elaborei nenhuma análise bloguista, mas dou-me à liberdade de lhes tecer, agora, alguns fugazes comentários. Cá vão então...


"PESCADORES SALVOS EM ALTO MAR" - Homens resistentes que provam de que massa é feito o povo do além mar Prtuguês. Restência, fé e muita sorte.

 

"TRAPALHICE DA CASA DOS SEGREDOS" - O segredo que era, mas já não é, de um estripador que se fosse não recebia nenhuma condenação porque o crime "já era"! Difícil de entender? Pois, e o celeuma rondou um programa pouco ou nada estimulante (para o meu gosto, atenção! Não estou a falar mal de quem o veja, não vá aqui, já ferir alguma susceptibilidade) e os crimes hediondos que prescrevem.


"AUMENTO DE TAXAS MODERADORAS,MAIS UMA CACETADA NA CLASSE MÉDIA"
- Bem, sobre esta escrevi no blogue, mas não pude deixar de a referir aqui. Talvez, porque me sai mais do bolso.

 

"GREENPEACE ENTRA EM CENTRAL NUCLEAR PARA DEMONSTRAR A INSEGURANÇA DAS MESMAS E SÃO ACUSADOS DE INVASÃO DE PROPRIEDADE PRIVADA" - Os militantes não só entraram, como ainda conseguiram exibir uma bandeira a dizer  "o nuclear seguro não existe"! Será que além da mais que provável condenação não poderão medalha-los? Sim! Foi um feito, não digam que não!

 

 

"SENHORA RACISTA QUE FEZ COMENTÁRIOS NÃO RECOMENDADOS NO METRO DE LONDRES VAI REALIZAR CÂNTICOS NATALÍCIOS ATRÁS DAS GRADES" - Não sei como foi realizado o vídeo que teve imensas visualizações desde que foi colocado no YouTube, o certo é que esta dita senhora foi condenada pelo Tribunal Inglês pelos comentários que fez, com a agravante de ter um menor ao colo.

Podem agora vir falar da privacidade pelo facto da senhora ter sido filmada sem a sua autorização. A realidade é que racismo é estupidez, é ignóbil, é algo  que nem consigo classificar e  aplaudo a sua condenação. Aplaudo em pé! Cantando ou não o seu Natal vai ser passado na prisão.

 

"200 MILITANTES DO BLOCO DE ESQUERDA VÃO FORMAR NOVO PARTIDO" - Oh, não! Mais um para aturar... mais para entupir o cano de esgoto que vi no sentaqui

 

O meu tento bem tentou falar sobre estas e outras bloguices durante a semana, mas o meu tento não conseguiu! Ficaram as gordas...

Era uma vez....

Ultimamente tenho lido, e ouvido, algumas histórias e historietas, gostaria que fossem ficção mas infelizmente têm um ar demasiado realista para as considerar assim.

 

Sempre que ouço alguém do Governo a falar (seja lá quem for que esteja lá) parece-me sempre que eles não devem viver no mesmo Portugal que eu!

Ontem apanhei na TSF alguém do atual governo, não cheguei a perceber quem era, mas isso talvez não interesse porque eles pensam todos o mesmo quando estão lá, só pensam diferente quando são oposição! Continuando, essa pessoa falava sobre o aumento das taxas moderadoras nos Hospitais e Centros de Saúde. Não estamos a falar de um aumentozito, estamos a falar de um aumento de 100%!!! Mas a tal Senhora achava que não era nada de mais e chegou a dizer que os que falavam contra, mais este aumento, passo a citar, "Usam frases demagógicas incendiárias, porque este é um aumento com justiça", podem imaginar a minha fúria!?

 

A tal senhora dizia que a par disso iriam aumentar a parte das isenções. Será?!! Não se me quer parecer, acho que aí é que reside a demagogia.

Mas, supondo que tal acontece, vou citar um simples exemplo:

Numa família de classe média, com dois filhos, em que o rendimento é superior aos 600 euros per capita, portanto até vamos supor que ganham 1000 euros cada um, 2000 euros mês, pagam renda ou prestações de casa e até do carro (porque o que tinham estourou) têm que comer, vestir-se, e os miúdos crescem há que comprar roupa para cada estação, vêem a fatura da luz e do gás a aumentar, o IVA também aumentou em alguns produtos, não fumam não tomam café, não fazem gastos supérfluos, vêem os seus subsídios  a voar (que serviam para fazer face a algumas despesas extra ou para amortizar as prestações), pagam mais imposto, e na escola dos miúdos estão a pedir ajuda para fotocopiar as fichas de avaliação,  compram volta e meia um livro (que para alguns pode ser considerado supérfluo, para mim a cultura é essencial), às vezes até iam ao teatro, mas agora... enfim uma balança pouco equilibrada que pesa mais para o dinheiro que sai.

Entretanto, um deles tem um azar do caraças e parte uma perna! (Atenção isto é a doença mais simples e sem direito a isenção, porque são muito poucas as que têm) Vão à urgência e pagam 20 euros! O que partiu a perna tem que por atestado 4/5 meses, tem que fazer fisioterapia, e ainda há que ir ao Centro de saúde pelo menos duas vezes para passar atestado, ora mais 10 euros de cada vez, sem contar com os medicamentos e deslocações para a fisioterapia. Não esquecendo que  a coisa pode complicar. E então? Então, respondo eu, está o caldinho entornado...

 

Contando que essa família até possui um cão, que por azar também adoece... não há dinheiro para fazer face às despesas extra no veterinário. E agora?

 

Demagogia? Querem falar-me de demagogia?  Atrevam-se a falar isso perto de mim! Aconselho a quem o fizer um perímetro de proteção de pelo menos 500 metros

 

Pois, contam-se muitas histórias no Portugal de São Bento,muitas histórias que fazem adormecer muito boa gente. Mas no Portugal que eu vivo a história é assim...

Era uma vez uma classe média, que se extinguiu...

 

O meu tento quer ver se protegem a espécie em extinção "classe média", mas não estou a ver que vá conseguir!

Nós iremos sobreviver!

Ultimamente a minha atenção tem-se focado em instrumentos musicais de cordas, e a exemplo dos excelentes Sulic e Hauser, que publiquei no artigo dedicado ao meu reizinho, hoje deixo, aqui no meu estaminé, estes não menos deslumbrantes Igudesman e Joo.
É interessante verificar como estes músicos tratam os instrumentos que tocam por "tu" (o meu filhote ainda trata o violoncelo por "Senhor"), e como a criatividade torna tudo tão diferente! Bem haja a música e bem haja a alma que possui tanta criatividade!
O meu tento viu nesta melodia "I will Survive" uma esparança para tudo este turbilhão de acontecimentos em que vivemos. E de esperança vive o Homem! Pode ser que descubram, por aí, mais um fundo de pensões...

Forte desejo!

Por vezes almejamos tanto, mas tanto, algo, que sofremos as mais diversas tropelias para conseguir o objecto do nosso tento...e finalmente quando temos o alvo do nosso mais ansiado desejo à frente não podemos sequer saciar-nos gulosamente...
Triste sina a de quem tenta, tenta, e tenta mas o seu tento não consegue....
Triste mas triste sina....
Bom fim de semana e saciemo-nos gulosamente :)

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D