Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Caminhar...

"O sol vai sair, amanhã
Aposto seu último dólar que amanhã, vai haver sol
Pense só, amanhã
Limpe as teias de aranha e a amargura,
Até não sobrar nenhuma.

 

Quando estou presa no dia, que é cinza, e solitário,
Eu apenas ergo meu queixo e minha morbidez e digo,

 

O sol vai sair, amanhã
Então  tens que aguentar até amanhã,
Aconteça o que acontecer,
Amanhã, amanhã, eu te amarei amanhã,
estarás sempre a um dia de distância..."

 

O meu tento tenta com este "Tomorrow" do filme Annie (1982) dizer que  aconteça o que acontecer o sol estará lá, amanhã!
Que essa distância que nos separa não nos leve a parar,
que essa distância não nos tolha o caminhar,
que essa distância não iniba o pensar...
Sempre a um dia de distância e sempre visível, sempre intangível mas fazendo-nos caminhar, pois afinal apenas está a um dia de distância!

O tempo parou?!?

Existem semanas que passam a fugir no tempo, e quando nos damos conta pensamos para nós "Irra! Já é quinta-feira?"

 

Hoje ao passar os olhos, rapidamente, pelo Jornal percebi que os anos e os séculos também passam muito rápido. Fiquei com uma certa dúvida foi em relação ao século que estava! Daquelas dúvidas que nos vão surgindo, "Que dia é hoje?" alguém responde "Hoje? É dia 29-03" ao ler o jornal tive que me perguntar "De que ano? De que século?"

 

Uma notícia sugere que compete à PSP  "analisar a imprensa nacional e, sempre que necessário, promover o direito de resposta sobre notícias que possam desencadear, de forma errónea, percepções negativas do serviço policial". Como? Hã? Digam lá? Promover a boa imagem da PSP combatendo noticias menos positivas? Então e esta que foi publicada hoje? Não será pouco positiva?

Se calhar passei os olhos muito rápido... ando a tentar acompanhar o tempo, mas talvez haja mais gente que precise de entrar na corrida!

 

Enquanto isto, e sem ligar se as notícias publicadas fazem mossa ou não no País, o lugar da dita "terra de oportunidades", os polícias do Mundo, (talvez já chegue de qualificar, já deu para perceber)  nesse proclamado País "avançado" quer ter-se acesso as passwords dos trabalhadores!

Mas, "péra" aí! Então a palavra passe, a senha, não deveria ser privada?

 

Controle da noticia e da privacidade do cidadão comum...

 

O meu tento bem tentou perceber em que milénio estava, mas penso que o tempo parou... O que será feito do seu passo galopante? Do evoluir da civilização?

Ao silêncio me remeto... mais um dia.

Discutido o novo pacote laboral, que prevê o alargamento do despedimento por inadaptação, a criação de um banco de horas de trabalho por acordo com o trabalhador, diminuição para metade do valor a pagar por horas extra, menos descanso... e a presumir pelo silêncio de muitos, pois só alguns falam e se manifestam, dá a entender que este novo pacote laboral é aceite pela maioria dos trabalhadores.

 

E porque será que as pessoas se mantêm neste silêncio ensurdecedor?

 

Dá que pensar.

 

Estarão de pleno acordo com este pacote?

 

Não me venham com as frases feitas do “Tem que ser…”, “Não adianta…”, “Estamos em crise... ” e “ Eles é que mandam, nós não podemos fazer nada…”, porque essas tiram-me do sério!!!

Mais vale ficarem no conformismo de ideais, na falta de esperança calada do que me me virem com esta pieguice monstra. Onde se perderam os ideais de solidariedade, de igualdade, de crescimento unido, de felicidade, de paz de espírito e de que o trabalhador é a parte mais valiosa de um mercado pujante? Afinal é ele que mete mãos à obra. Ou não é?

 

O meu tento remete-se ao seu grito silencioso, grito de uma sociedade que se está a auto-aniquilar, de uns trabalhadores cansados, que agradecem terem pão na mesa, e que estão deixar de caminhar para a utopia com as ideias de um patronato poderoso e que quer ainda mais poder, por muito que me tentem convencer do contrário. Mas lá está, cada um é livre de ter as tentativas que quiser...

A frio e em silêncio

Este artigo escrevi originalmente no blogue "Não me pisem os calos", que divido honrosamente com o patrão do sítio "Eu Ando às Voltas" , mas achei que também deveria expô-lo aqui, porque esta acaba por ser umas das minhas tentativas de fazer eco e convidar à reflexão. Porque de vez enquando o silêncio pode ser o mais forte dos gritos

 

Passou um semana turbulenta. Turbulenta em notícias e em reações quentes.

 

A greve passou e não consegui dizer nada sobre ela, sem saber também o que pensar e onde me colocar. Ouvi, das mesmas pessoas que nunca fizeram greve, "desculparem-se" que não faziam greve por falta de dinheiro, a resposta que invariavelmente recebem é "Eu tenho muito dinheiro e por isso quando faço greve é porque já não sei o que lhe fazer"

 

Primeiro estou fartinha destas desculpas, não fazem greve ponto. Ninguém precisa de se desculpar, e não precisam de lembrar que não vamos receber esse dia. Embora eu saiba que para muitos, mas muitos dos que até iam reagindo, esse dia sem receber iria sair mesmo muito caro.

 

Segundo, não consegui mesmo posicionar-me em relação a esta greve. Não concordo com o raio do acordo bipartido, não concordo com alguns direitos adquiridos atirados para o charco e não concordo que paguem todos pelos abusos de alguns.

 

Terceiro, entristece-me ver que muitos não se identificam com as forças sindicais. Se não fossem os sindicatos já teriam certamente feito picadinho dos trabalhadores, mas alguma coisa está a falhar, algo que não consigo identificar com precisão, mas está lá, a moer, a desgastar as forças sindicais que mais parecem, desculpem-se a analogia um "F. Clube do Porto" e um "S. L. Benfica", com os adeptos a puxarem cada um para seu lado em campos opostos.

 

Enquanto as Centrais sindicais não se unirem talvez não conseguirão unir um povo desfeito, esmigalhado e sem presença de espírito para reagir. Fartos de greves soltas vendo que nada do que fazem trará mudança. OK! Mas então o que fazer?

Muitos respondem-me que não vale a pena fazer nada porque "eles" fazem o que querem. Pois fazem. E porquê? Porque nós deixamos, porque o povo não está unido e a última vez que esteve foi há 38 anos perdidos na memória.

 

Odiei as imagens que vi da carga policial aos manifestantes que, arruaceiros ou não, não deveriam ser levados a ferro e fogo.

Desde quando a violência é resposta?

 

Quando via as imagens pareciam inacreditáveis, parecia-me que não eram em Portugal, dito País de brandos costumes. Pois é! Mas as coisas não estão brandas.

 

Apeteceu-me ter a força e o jeito para organizar manifestações. Mas não uma manifestação qualquer. Uma manifestação do povo, sem centrais sindicais e sem forças políticas de oposição. Sem faltas a trabalho, porque sei que muitos não podem, num fim de semana em que as pessoas deixassem por um dia de se sentirem sós e passassem a sentir-se parte de um povo que está a sofrer, isto porque alguém andou a abrir as mãos e a gerir mal a esperança que lhes depositamos com confiança. Num dia em que as pessoas deixassem de ser abstémias, como tem sido hábito em altura de eleições. Num dia em que nos sentíssemos unidos. Pode ser que não possamos fazer nada, mas estamos juntos nesse nada que não podemos fazer!

 

Uma "manifestação do silêncio", o silêncio em que estamos, o silêncio que achamos que temos que estar, por medo, coagidos, talvez porque sentimos que as forças se estão a esvair, porque se pensa que não vale a pena. Sem marchas, sem palavras, sem entrevistas, com as pessoas sentadas e nos pontos principais de cada capital de Distrito, com as pessoas a fazerem o que fazem todos os dias, e que se tem vindo a fazer nestes anos todos, a estarem simplesmente em silêncio e com o olhar perdido na esperança, na esperança que isto passe depressa e que ainda estejamos de pé no fim!

 

Um silêncio por uma Europa sem rumo certo ou com um rumo perdido algures na força do capitalismo.

 

Com os calos a doer, mas em silêncio porque talvez assim ouçam melhor a força que ele tem!

 

Pode ser que alguém com mais força do que eu consiga motivar um povo, consiga unir pelo silêncio o que está desfeito por palavras.

Os tempos de outrora

Andou, ou anda, a circular pela blogosfera um inquérito ao qual aderi, o que afinal acabou por ser diferente. E gosto da diferença, gosto de mudar, de inovar de fazer coisas novas. Mas este inquérito não é assim tão novo.

 

Este inquérito fez-me recordar um "cromo" da Comercial, brilhantemente protagonizado pelo Nuno Markl, em que ele falava sobre uns inquéritos que circulavam pelo Liceu, na altura da "era cromo". Vanda Miranda emprestou o seu caderninho-inquérito para ser lido pelo Nuno no espaço da Comercial.

 

Nestes dias com tanto que falar e tanto que dizer, pois muitos foram os assuntos que chamaram a minha atenção, este inquérito serviu para que, também eu da "era cromo" fosse à minha arca, mas não à de tesourinhos deprimentes, e sim à minha arca de recordações. Não sou pessoa de guardar grandes recordações, mas o inquérito que fiz aos meus amigos, e àquele que viria a ser o meu namorado e atual marido, o inquérito que eu fiz com 17 anos, esse está guardado e foi recordado com um sorriso.

 

Cada pergunta simples, a minha letra juvenil, os meus sonhos, estavam lá, encerrados nas palavras de uma miúda tímida que nem imaginava que aquele caderno iria ser guardado, transportado sempre de um lado para o outro, quando as andanças da vida o obrigavam a mudar de casa ou de cidade, partilhando um espaço com outras bugigangas de tempos de outrora, coisas simples que estão lá.

 

Leio as perguntas, as respostas que também dei, afinal quis mostrar que sou igual e que não fujo ao que pergunto, quase não me reconheço, mas ao mesmo tempo estou presente em cada frase. Sonhadora, proclamando a igualdade, defendendo o direito dos animais, determinada e ao mesmo tempo insegura, uma insegurança que me custou muitas agruras.

 

A vida é uma aprendizagem... talvez não tivesse piada se tudo fosse perfeito. Trilhei caminho e sei que ainda me falta trilhar muito, espero que me seja dada oportunidade para o fazer, estarei sempre disposta a mudar, a renovar-me, a refazer-me e a aprender, a caminhar...

 

O meu tento deixou outros assuntos para amanhã, para a semana, afinal eles estarão por aqui. O meu caderno de inquéritos também, mas talvez eu já não esteja tão melancólica, no entanto estarei certamente determinada em caminhar...em mudar...

DESAFIO OU BLOGO-INQUÉRITO...

Tanto quanto percebi alguém se lembrou deste desafio que corre a blogosfera, e aqui o eu foi desafiada duas vezes!!!

Alguém me explica se tenho que responder a 22 questões? Ou só a 11!

Vou tentar responder às 22, vá lá...

 

Fui desafiada pela Lua - http://umafamiliadetrespessoas.blogs.sapo.pt/269918.html

E pela Rosinda - "Aqui na minha Janela" http://onix.blogs.sapo.pt

 

 

As regras são as seguintes:

 

a) Escrever 11 factos sobre mim;

 

b) Responder às perguntas que me foram propostas;

 

c) Escolher as próximas vítimas;

 

d) Fazer 11 perguntas para as próximas vitimas desta acção;

 

 

 

Então aqui vai 11 factos sobre mim:

 

1- Sou teimosa que nem uma mula

2- Bem-disposta e uso muitas vezes o humor nas situações em que me vejo mais enrascada ;) e resulta

3- Tem dias que acordo com um toco de todo o tamanho, não se aproximem nem falem comigo nos primeiros 15 min e sobretido não me contradigam

4- O toco passa rápido ;)

5 - Adoro o mar

6- Gosto de escrever, sem barulho de preferência, e sobretudo a não ouvir a voz irritante da Miley Cyrus, na tradução em Português, e a Candas do Phineas e Ferb (filho espero que leias isto)

7- Adoro passear e conhecer novos locais

8- Sou uma gulosa de "primeira apanha" =)

9- Adoro chocolate, mas são raros os bolos de chocolate de que gosto

10- Tenho montes de livros na mesinha de cabeceira e vou trocando consoante a apetência do momento

11- Sou uma verdadeira apaixonada do mundo canino

 

As perguntas que a Lua me fez

1- És feliz como és? Mudarias?

Se fosse para mudar era sinal que não era feliz =)! Vou mundando, aprendendo e sou feliz como sou

2- Que objecto pessoal levarias se tivesses te ausentar para longe muito tempo e te recordasses de onde és?

Levava terra do local de onde era num frasquinho

3- Se fosses um objecto qual serias e porque? Não, não e animal, e mesmo objecto...))

Uma canoa para andar no mar

4- Se tivessem tres desejos a escolher pelo senhor da lampada, quais seriam?

Não acredito em senhores de lampadas, mas vá lá,

Um deles é que não me fizesses esta pergunta ;)

Dois era que a dor não existisse, seja ela qual for

Três que as pessoas andassem à frente da economia e não o contrário

5- Se vos dessem a escolher um lugar de sonho qual seria?

Lugar de sonho é o que fazemosdo local onde estamos

6- Se vos pedissem para deixar de serem vos mesmos por um dia e fossem uma celebridade qual era a celebridade que escolhiam e porque?

Não queria ser uma celebridade. Juro

7- Quais são os vossos piores pesadelos?

Ter que responder a 22 questões ;) valeu?

8- Conseguirias não vir a internet pelo menos uma semana inteirinha?...))Não, não é um dia, e uma semana...))

Se estiver de férias, sim. Mas desde que tenho o blogue tornei-me dependente. E consigo estar um dia sem vir à net (excetuando no serviço que preciso dela)

9- Se fosses uma pessoa rica e falo em termos economicos o que farias para ajudar alguem ou comunidade?

Gostaria de ajudar crianças e animais que precisassem de carinho

10- O que fazias para mudar o mundo em 365 dias?

Ui! E isto dá para mudar em tão pouco tempo?

11 -Se usassem bulling contra vossos filhos/netos quais seriam vossas atitudes?

Eu posso ter cara de anjo, mas não me provoquem!! Viro onça se se metem com a minha ninhada{#emotions_dlg.annoyed}

 

 As perguntas que a Rosinda me fez.

1- Acreditam na amizade virtual?

Sim, porque não? Falo em muitos de vós como se estivesse convosco, e não estou?

2- Gostam deste género de desafios?

Tem dias... hoje estou para aí virada ;)

3- Ajudariam alguém que não conhecessem ?

Já o fiz, montanhas de vezes!

4- Dizem exactamente o que pensam quando escrevem no vosso blog?

Sim. Invarialvelmente

5- Com o que vão lendo nos blogs (inclusive comentários) aprendem a conhecer melhor as pessoas?

Sim, e ajuda-me a conhecer-me a mim pensando sobre assuntos que às vezes não o faria de outra forma

6- Invariavelmente usam de alguma hipocrisia para estar de bem com todos?

Odeio quando tenho que fazer sorriso amarelo, e dizem-me constantemente que tenho que "moderar" quando não gosto de alguém. Pelos vistos sou demasiado expressiva... Mas tento não tenho culpa se o meu tento não consegue ;)

7- Aceitam que usem o vosso email para criticar os vossos amigos virtuais pelas costas?

Nunca o fizeram e presumo que não o fariam.

8- Não vos incomoda a constante referência ao IP de cada seguidor, o que por vezes sugere um espécie de controle?

Onde pára a privacidade?

9- Gostam de visitar blogs com os comentários moderados que dão uma trabalheira?

Nunca me demorei a pensar sobre isso, respeito, é uma escolha. Eu preferi não ter os comentários moderados no meu blogue

10-  Se deram o vosso nome verdadeiro a conhecer, já se arrependeram?

A minha excentricidade é não revelar o L. ;), de resto é o meu nome verdadeiro

11- Seriam capazes de corrigir algum erro ortográfico de outros blogs,com delicadeza e discrição?

Sim, se achasse que sería impreterível fazê-lo

 

E cá vão os "torturados" que escolhi:

1 - FlorBytes - http://florbytesemmeemoria.blogs.sapo.pt

2- Sara "Desabafos Agridoces"- http://desabafosagridoces.blogs.sapo.pt

3 - Jorge Soares (pensavas que escapavas?) - "o que é o Jantar" - http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt

3 - Senta aqui - Manu - http://sentaqui.blogs.sapo.pt

4 - Kok - http://bagos-de-milho.blogs.sapo.pt

5- Eu ando às voltas - http://marchadosdesalinhados.blogs.sapo.pt

6- Marta - "Do meu lugar" - http://domeulugar.blogs.sapo.pt

7 -Lady Magenta - http://poppiesandbutterflies.blogs.sapo.pt

8- Suspeita - http://suspeitas.blogs.sapo.pt

9-Someone- http://ideias_ao_acaso.blogs.sapo.pt

10- Caracolinho - http://simplesmentenada.blogs.sapo.pt

11-Poeta porque Deus quer - http://contra-sensual.blogs.sapo.pt

 

E cá vão as minhas 11 questões:

1 – Quais as cidades Portuguesas que mais preferem? Porquê?

2 – Indiquem, por favor, um roteiro que me aconselhariam para férias, baratinho de preferência.

3 – Nota-se muito que ando à cata de locais para passar férias?

4 – Qual a rádio que mais costumam ouvir?

5 – Qual o livro que leram que mais se lembram? Porquê?

6- Se ganhassem a lotaria, e ficassem ricos, deixavam de trabalhar? O que fariam?

7- Porquê o título do vosso blogue? Para quem tem muitos o que eu escolhi para o inquérito.

8 – Se fossem um animal, qual escolheriam ser e porquê?

9 – Máquina fotográfica ou vídeo? Porquê?

10- Escolham as pessoas que só conhecem no virtual para um jantar convívio com a criançada e tudo (para quem os tem, óbvio)? (Não precisam de me escolher, a menos que a sobremesa seja de chocolate, nesse caso são intimados a fazê-lo!! ;))

11 – Alguém sabe onde começou este BLOGO-INQUÉRITO?

Liberdade de escolha

Existem atitudes que para mim, cabeça simples, me parecem demasiado rebuscadas...

 

Uma delas é a atitude do prémio de Nobel da paz, Ellen JohnsonSirleaf, que lutou pela igualdade das mulheres e recentemente veio defender, em público, a criminalização da homossexualidade!

Ou seja, as mulheres têm os mesmos direitos SE não forem homossexuais, caso contrário são condenadas. E ao que parece querem aumentar a pena até 5 anos de prisão! Como é lógico isto é valido para os homens que se achem na liberdade e no direito de ter opção sexual.

 

Ao que parece nesta sua afirmação podem estar interesses políticos, uma vez que ela não possui a maioria e necessita de apoio parlamentar para lutar contra outras questões mais prioritárias tais como, corrupção e desemprego entre os jovens.

 

Ok! São de facto assuntos prementes, mas um Nobel da paz tem a responsabilidade de defender a igualdade, a paz e liberdade. E de facto deve ser difícil ter que “engolir sapos” uma vez que não se pode abraçar todas as causas, porque quero acreditar que é isso que está a acontecer, a Nobel da Paz está a engolir um grande sapo pois não deve ser fácil viver num local onde a liberdade e igualdade são palavras novas e em evolução.

 

Como se pode considerar a homossexualidade uma ofensa criminosa?

Não será uma ofensa criminosa não dar liberdade de escolha a quem vê a felicidade de forma diferente?

 

E a escolha sexual é íntima, pessoal e até uma questão de felicidade e paz interior. E parece-me mais “perigoso” um ser infeliz, acuado e reprimido.

 

Eu bem tento entender como a escolha sexual de uma pessoa pode interferir com o bem estar geral, mas o meu tento não consegue.

Quando o Homem quiser

Mais um dia comemorativo, com montras a abarrotar de coisicas para vender alusivas ao dia do pai. E passando a parte comercial à frente, que essa enjoa, lembrei de fazer um artigo para o dia do pai, que já está no fim. Mas tal como o Natal o dia do pai é quando o Homem quiser.

 

Dia do pai é quando pai e filho riem juntos, se divertem juntos, combinam marotices para chatear a cabeça à mãe.

É todo um acordar para a função de pai, que vai muito mais além do que pôr comida à mesa, ser uma autoridade, ser distante do educar do estar.

 

Felizmente os pais de agora mudam fraldas, com caretas e algum circo à mistura, mas mudam! Dão banhinho aos seus bébés, fazem por estar presentes na função de educar e estar com a criança.

 

Mas os pais mais distantes não deixam de ser amados, no entando falta-lhe algo, falta-lhe a pimenta da convivência e  toda uma vida partilhada.

Momentos que se perderam. E a vida é feita disso, de doces e pequenos momentos que ao fim do nosso dia...da nossa vida, contarão como alegres recordações, como parte da nossa personalidade.

 

Por isso, o meu tento acha que o dia do pai como o Natal, é quando o Homem quiser!

 

Quebrem os vidros!

Imagem retirada do Jornal Público

 

Será que não existem pedras para quebrar os vidros?

É que está a ficar abafado por aqui!!

 

Pedras existem

falta quem as queira atirar

quem será o primeiro

com coragem de mudar?

 

Quem será o primeiro

com a pedra a atirar?

A pedra é feita de ações,

a pedra é feita de corações!

 

Mas ninguém quererá

a pedra a tirar,

ninguém irá quebrar

e o vidro estraçalhar.

 

O vidro é fino

diz o povo!

O vidro é fino

e não é novo....

 

Será que ninguém o irá quebrar?

 

O meu tento procura a pedra com que o vidro irá quebrar, mas existirá alguém com coragem e vontade de mudar!?!

Luz solidária

 

Imagem retirada daqui

 

Acendo hoje uma chama, uma luz triste que tentará iluminar o coração de quem vos chora.

Estarei com a minha humilde velinha, aqui no meu espaço virtual, a iluminar solidariamente todos os que sofrem pela vossa trágica ausência, estarei longe mas muito perto de todos os corações que precisam de afago nesta hora de triste desespero.

 

Tendo a certeza que muitos juntarão também uma luz à minha, para que neste gesto singelo possamos demonstrar também a nossa tristeza unindo-nos na dor.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D