Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Precisamos de roubos destes!!

Não costumo fazer isto, até porque gosto de poder deitar-me na almofada e dormir logo e não de ficar a matutar em coisas que li em jornais. Mas hoje como tive, para variar (porque esta semana anda o Murphy cá por casa), um dia a "breca", resolvi dar uma vista de olhos no que se passa no mundo. E houve uma notícia que me fez rir. Coisa raríssima para quem se dedique a ler notícias!!

 

imagem retirada da net

 

 

 

Na Alemanha alguém que assina como "Monstro das Bolachas", o apreciado personagem da Rua Sésamo, roubou uma estrutura com o emblema da Bahlsen, que não é nada mais que uma pecinha em ouro com 20 quilos e com cerca de cem anos!!

 

E o que exige em troca para devolver o emblema?

 

Que  crianças hospitalizadas no hospital pediátrico de Hanôver  recebam bolachas de chocolate de leite e que a recompensa oferecida pela empresa em troca de informações sobre o roubo, nada mais e nada menos que mil euros, reverta para um abrigo para animais!

 

A sério?!?

 

E o ladrão diz ainda, que se não fizerem isso a dita "bolacha de ouro" irá para o caixote do lixo do "Óscar"! Outra personagem da Rua Sésamo.

 

Para relembrar,

imagem retirada da net

 

Ao que parece o "verdadeiro" monstro das bolachas já foi ao Twitter dizer que alguém lhe está a usar o nome.

 

Bem, seja quem for, além de ser um ladrão cheio de humor demonstrou que um Robin dos Bosques começava a dar jeito. Tirar de quem tem muito para dar aos que mais precisam... será roubo?

 

Eu sinto-me roubada e ultrajada todos os dias....

 

Um tento engraçado, sem dúvida.

Homens...

Imagem retirada da net alusiva ao Livro Zits de Jerry Scott

 

 

Já por aqui falei muitas vezes das diferenças entre homens e mulheres e talvez eles sejam mesmo de Marte nós de Vénus!

 

E muitas são as pequenas coisinhas que a generalidade vem acentuar a distância que existe entre os dois planetas.

 

Os homens, no seu geral, claro, têm uma certa dificuldade em encontrar as meias na gaveta das meias. A manteiga no frigorífico, a camisa que devem vestir, ou algo que lhes pedimos para trazer.

 

As mulheres têm rugas com a idade e ficam mas flácidas. Eles? Ficam com charme...

 

As mulheres esfoliam a pele do rosto, limpam, hidratam e têm creme de dia e de noite. Eles? Usam uma loção pós barba e no máximo um anti-rugas! Na cara, à homem!

 

Mulheres gostam de preliminares, flores, olhar a lua o pôr do sol... eles vão directos ao assunto sem grandes rodeios

 

As mulheres expressam-se, dizem o que sentem, desabafam e necessitam de falar. Eles? Precisam, na sua grande maioria, de um grande saca rolhas para expressarem os seus sentimentos e aquilo que realmente pensam. A verdade é que quando o fazem se arrependem de imediato, mas isso é porque não sabem expressar-se, notória falta de hábito, não venham dizer que a culpa é nossa. Ok?

 

Nós? Usufruímos de uma tarde de lojas e banho de roupa. Eles encontram tudo na primeira loja e nem querem ver mais! E se tal não acontece fartam-se rápido e quem acaba por lhes escolher a roupa somos nós, enquanto eles se sentam com ar enfastiado... ou então, vão ver quais os filmes que estão a passar, "solícitos", para passarmos um resto de tempo proveitoso.

 

Eles PENSAM que conduzem melhor, nós deixamos que eles fiquem com a fama para não lhes ferir o orgulho ;)

 

Eles conseguem, não sei como, (algo que ainda estou para entender) não ver quando a casa precisa de uma limpeza! Mulheres vêem um ínfimo pó à légua e gostam que ele não esteja lá!!!

 

Eles deixam a roupa retirada na cadeira dias... e dias... esperando que ela se arrume sozinha ou que (que nós) alguém arrume!

 

O tempo para eles não decorre à mesma velocidade que para nós. Para nós, 5 minutos são 5 minutos! Para eles, 5 minutos pode ser meia hora, na melhor das hipóteses.

 

Mulheres gostam de perfumes, vários para poder escolher, baton, unhas arranjadas e com verniz, de preferência, rímel e outras coisas que tais (nisso sou comedida). Eles? Roll-on, um perfume, unhas cortadas, se não tocarem guitarra, barba feita, ou aquela de 3 dias, e ficam lindos! Que raiva!!!

 

Mulheres reparam nos pormenores, nos ínfimos pormenores... eles se virem uma ou outra coisa ficam contentes.

 

Mas nem tentamos viver uns sem outros! E nem queremos, somos felizes com a diferença. É ou não é?

 

 

 Imagem retirada da net alusiva ao Livro Zits de Jerry Scott

 

 

Uma luz...

 Esta semana Um ministro Alemão referiu que Portugal tem "Sinais Encorajadores" e que estes "permitem ver a luz ao fundo do túnel!!

 

Cuidado é desta que o "comboio" nos vai albarroar....

 

 Imagem retirada da net

 

Eu bem tento ver a luz que o senhor viu mas o meu tento não consegue....

 

Que andarão eles a tomar?! É que davam um bocado à malta!

 

Direitos do Estado

Imagem retirada da net

 

 

O tribunal de Sintra decidiu retirar 7 dos 10 filhos de um casal! Não sabendo pormenores do caso, e acreditando que, de facto, a senhora era negligente e não cumpria o acordado com os funcionários da Comissão de Protecção de Menores , o que deixava as crianças num certo risco. A questão premente e que se coloca é que, ao que parece, a última decisão partiu da recusa da mãe em realizar uma intervenção cirúrgica conhecida por laqueação de trompas. Isso a impediria de trazer mais crianças ao mundo e de as negligenciar.

 

Mas até que ponto pode os Estado, ou seja, um Tribunal obrigar alguém a realizar um processo cirúrgico?

 

Muitos se insurgiram contra esta decisão e até contra a retirada dos filhos à mãe.

 

Quanto à retirada dos filhos quero assumir, e apesar de não conhecer todos os factos, que é uma decisão feita sempre em última instância. E que se foi tomada é porque realmente existia algum risco para o bom desenvolvimento daquelas crianças.

 

Mas pergunto. Será que existe o poder de obrigar aquela senhora a laquear as trompas?

 

Até onde poderá ir a intervenção do Estado?

 

Não sei. Talvez não seja justo obrigar alguém a fazer o que não é da sua vontade. Mas será justo para uma criança que nasce? Será justo à partida ser negligenciada?

 

Mas se era assim tão negligente porque retirar só 7 e não os 10?

 

Conheço um caso parecido em que todos os filhos foram retirados à família, por negligencia desta.

 

Mas pergunto mais. Não estarão neste momento muitas crianças, muitas famílias em risco com esta crise e esta autoridade?

 

Perguntas... perguntas que eu tento compreender mas que não consigo resposta...

 

Estrelinha

E o livro "Onde Está a Tua Estrelinha?" lá acabou por ter a sua apresentação! E até o livro já tem perfil no FaceCoiso https://www.facebook.com/onde.esta.a.tua.estrelinha!!! Já começam a cair os muros... mas ainda resisto! ;)

 

Já tem nova apresentação marcada, e com algumas surpresas reservadas aos mais pequenos, mas mais perto da data publico o convite e digo onde, e como vai ser.

 

Para já deixo uma pequena amostra do que se passou. E um beijo enorme para quem tornou este dia possível.

 

 

 

Tuna Eléctrica da Timpeira - Costumam tocar em quinteto mas para aqui decidiram-se pelo trio, até pela acústica do espaço. São simplesmente maravilhosos! E muito simpáticos. As músicas são da sua autoria e as letras de poetas nossos! Vale a pena ouvi-los. Fazem da música um passatempo mas quem os ouve parece que aquilo é a sua vida! Lá está, encontraram a estrelinha que os move =) 

 

No átrio, da Biblioteca Municipal que tão bem nos recebeu, e já com alguma gente. A boa gente Transmontana que resistiu ao frio para apoiar o livro dos mais pequenos e, claro, dos grandes também =)

 

 A mesa de apresentação. Comigo ali no meio, bem atenta. Porto-me bem =) (quando quero;))

 

E a fila das dedicatórias não se fez esperar. Tentei fazer dedicatórias personalizadas, acho que fui conseguindo...

 

 

E termino com um sorriso para quem não pode ir mas de alguma forma esteve lá, para quem foi e me deu uma enorme alegria com a sua presença e para quem lerá o livro e me sentirá em cada palavra. E ao vosso sorriso o dedico.

 

Anedotas para chorar

Imagem retirada da net

 

Ultimamente tenho ouvido e lido umas anedotas, para desanuviar, mas fico sempre na dúvida se hei-de rir ou chorar. Passar-se-á algo com a forma como as contam... ou será de mim?

 

Ontem ouvi na rádio que querem extinguir a ADSE, e um dos argumentos seria o facto de que queriam que os cuidados de saúde fossem iguais para todos, ou seja, que todos tivessem os mesmos direitos no que tocam ao acesso a estes.

 

Hummm... ora então acabarão também com os seguros de saúde e teremos finalmente visto o dinheirito dos nossos impostos, que neste momento estão a pagar juros para alguns países fazerem a festa, festa essa que alguém fez aqui em Portugal antes, não sei quem, mas desconfio. Teremos finalmente cuidados de saúde públicos de qualidade, sem salas de espera a rebentar pelas costuras e seremos atendidos por profissionais que não estão desanimados e cansados porque não há falta nem de médicos nem de enfermeiros e tudo anda sobre rodas!

Vá tentem lá arranjar outro argumento que esse não pegou! O que veremos será, os funcionários públicos que podem a deixar de descontar para a ADSE e a começarem a descontar para seguros de saúde. Os funcionários públicos e os outros que já o fazem. Bendita igualdade!

 

Americanizem a coisa. E vivam os lobby`s

 

Hoje, dei uma lida rápida pelas gordas e dou de cara com outra anedota! Eh páh! Esta malta anda mesmo virada para a comédia! Ou será que andam a cheirar algo?

Não sei, uma das duas é

  O Sr. Freitas do Amaral acredita que O nosso Presidente acabará por dissolver o Parlamento!!!

Bem, ou ele conhece outro Presidente da República ou o senhor é mesmo engraçado! Eu não lhe conhecia tal característica.

 

E mais, disse que, "o poder deverá se devolvido ao povo soberano para que este confirme ou altere o rumo que está a ser seguido"

 

Mas ele está a ver aqui algum povo que quer ser soberano ou quer o poder? Se assim fosse não seria preciso a actuação do Presidente! O Parlamento já não estria lá. Não com violência, que essa não deve existir, mas com atitudes veementes e demonstrando que não é este o caminho que realmente se quer! Mas só alguns é que pensam isso. E que pensam outros?

Que este é que é o caminho! Que não há remédio senão aguentar! Que temos que sofrer o custe o que custar! Afinal, afinal vivemos acima das nossas possibilidades... e melhores dias virão.

 

Melhores dias virão sim! Resta saber quem os vai viver!!

 

Eu tento rir mas o meu tento não consegue mesmo

Carta aberta

imagem retirada da net

 

Estamos na altura das cartas abertas. Estas são escritas com veemência aos políticos e a pessoas importantes. Muitas delas circulam por este mundo de linguagem binária transformando-se em palavras lidas por muitos. O certo é que o destinatário não faz nada para mudar, pelo menos no que toca a destinatários políticos. Os tipos são rijos e não estão para se maçar com palavras de ordem, revolução e até coerência, julgo nem saberem o que isso é!

 

Pois eu, hoje, indo de encontro a esta onda de cartas abertas, resolvo escrever a minha.

 

Caros comerciantes; Donos de Estabelecimentos de Restauração, Administradores de Serviços de Saúde, Directores de Clínicas e Fabricantes de luzes automáticas com sensores

 

Esta carta é-vos dirigida. Partilho publicamente algo da minha intimidade, mas não vejo outra forma de o fazer para que vós entendais o que é ser alvo de uma das maiores atrocidades que atingem os nossos momentos urgentes, momentos que necessitam de cuidadosa precisão, de satisfação de necessidades importantes e completamente inadiáveis e que requerem o mais profundo respeito!

 

Caros senhores, já perdi o número de vezes que danço com as cuecas nas mãos em casas de banho públicas, fazendo um número circense arriscado, para não dizer extremamente ridículo e vergonhoso. 

 

Ficar de luz apagada é horrível! Não ver onde estamos, o que se passa à nossa volta, tatear o desconhecido não sabendo o que poderá estar lá! Agora, ficar às escuras num local que nos é inteiramente estranho, frio, a tentar acertar com um buraco, derreados, com as cuecas na mãos e ainda por cima ter que dançar ou agitar os braços no ar? Já é pedir de mais!

 

Será que não vêem o quando é penoso submeter-nos a tão arriscados movimentos?

Será que não vêem o quanto nos sentimos mal?

Será que não conseguem perceber o incómodo ignóbil por que passamos num momento que nos é tão íntimo?

Será que não vêem que há soluções para isso?

 

Encarecidamente vos peço que reflictam sobre este assunto que requer solução premente.

Espero que esta carta não tenha o destino de tantas outras que foram lidas e não ouvidas. Espero que estas humildes palavras vos acertem o coração e vos façam pensar por aquilo que passam os vossos clientes. Sinceramente acho que irão reconsiderar soluções aceitáveis para todos nós. Vós, que quereis poupar gastos desnecessários, objectivo que apoio na íntegra, e nós, que necessitamos de mais tempo de iluminação para realizar o nosso acto premente, que requer momentos de descontracção e de paz.

 

Respeitosamente,

 

A Golimix da Blogosfera

 

Lina Maria do mundo das casas de banho com sensores automáticos

Culpa dos donos ou dos cães?

Confesso que há alguns dias que não abria o Jornal, e era tão feliz...

 

Mas a verdade é que não posso ficar na ignorância sobre o que se passa ao meu redor muito tempo. Não é do meu espírito, algo que tenho que trabalhar, pois dava-me muito jeito e poupava-me a uma úlcera gástrica!

 

Abri hoje o Jornal, e de entre muitas notícias houve uma que me chamou logo a atenção, entre tantas outras que também contribuíram para a corrosão estomacal. Morreu mais uma criança mordida, atacada, por um cão "arraçado" de Pitbull, na passada terça -feira em Beja!

 

Não é segredo que adoro cães, e compreendo que muitos os adorem mas, e aqui um mas com letras maiúsculas, MAS, nem todos podem ter cão, e não tanto por uma questão de espaço, porque isso é muito relativo, mas porque nem todos têm a capacidade, conhecimentos e perfil para ter um cão! Não chega só gostar de cães, e isso é um facto incrivelmente importante e que muitos se esquecem.

 

Também é importante que não se adquira um cão por capricho ou por vaidade, um cão precisa de tempo para ser educado e sociabilizado, precisa que saibamos como funciona a sua mente e precisa sobretudo de alguém que saiba como educá-lo e no quese está a meter.

Não vão gostar do exemplo, mas mesmo assim arrisco, não educamos os nossos filhos quando são pequenos? Pois é. Os cães precisam de ser educados, sociabilizados, para que a convivência com o ser humano seja de harmonia, para que ambos possam desfrutar em pleno da companhia um do outro.

 

Muitos adquirem um cão por impulso, erro crasso! Ter um cão implica muita reflexão e algum processo de investigação, para no futuro evitar dissabores. E não falo só destes ataques, mas também daquelas cães insuportáveis que não se calam, daqueles que são os chefes em casa e os humanos que compartilham o espaço com eles são os seus servos e daqueles cães neuróticos que têm imensos problemas de comportamento.

 

Outro factor muito importante é a escolha da raça. Não que eu tenha alguma coisa contra rafeiros, já tive um, e gostava imenso dele, o certo é que as raças levam-nos, teoricamente, a saber de antemão quais as expectativas que devemos ter em relação ao cão. Mas nunca esquecendo que um cão precisa de ser educado, precisa de alguém que saiba como lidar com ele, e se esse alguém não sabe que peça ajuda.

 

Eu tive um Labrador, o meu quinto cão, o único que coabitou comigo, que viveu dentro de casa e que desfrutava do espaço familiar. Os outros tive-os enquanto vivia com meus pais e estavam sempre fora no quintal. Mas um Labrador é definitivamente um cão de família e ao contrário de que possam pensar ele precisa mais das pessoas do que de um quintal, ele adora companhia humana. Mas mesmo um Labrador, que tem a fama de ser o melhor cão de família, um dos cães considerados dos mais inteligentes, mesmo esse, tem que ser educado e deve ter alguém que o entenda, senão torna-se insuportável. E eu já vi alguns Labradores que eram verdadeiros "tanques de guerra"! Não que fossem agressivos, acho que isso não é fácil para um cão desta raça, mas tinham comportamentos destrutivos, eram imparáveis e alguns verdadeiros alucinados!! E não nos esqueçamos, eles são grandes e têm tanta força quanto doçura! Temos é que saber ensiná-los a "medir" a sua imensa força e energia. É preciso tempo para isso, tempo e muita dedicação, pelo menos no seu primeiro ano de vida, e depois é importante não esquecer as regras básicas e ir reforçando ao longo da sua vida a aprendizagem realizada.

 

E uma regra básica, simples e que nunca, mas NUNCA E EM HIPÓTESE ALGUMA DEVE SER ESQUECIDA - Uma criança sem maturidade não deve ser deixada só com o mais meigo dos cães!!

 

O meu Labrador era um doce, nunca faria mal ao meu filho, não intencionalmente. Agora imaginem a cena,

Deixo a criança como o cão, o gaiato sobe-lhe para cima e decide experimentar enfiar-lhe os dedos nos olhos, coisa perfeitamente natural numa criança sem maturidade e que está em plena descoberta. O que faz o cão?

Defende-se e levanta-se com a maior rapidez possível para não ser "atacado"! Entretanto o miúdo deu um valente trambolhão! E há quedas e quedas, como tão bem sabemos.

 

Agora imaginem uma cena parecida com esta com um cão que não foi educado, com tendência a ser agressivo, e também ele mais do que imaturo!

 

E há que existir uma mentalização deveras importante, há cães que não podem viver em apartamentos! Mesmo que o dono o passeie e disponha de tempo para fazer exercício com ele. O espaço de um apartamento pode pô-lo neurótico.

 

Não sei o que se passou com aquela criança e muito menos conhecia o cão. Mas eu nunca teria um cão, arraçado ou não, Pitbull num apartamento! E muito menos com um menor.

 

Talvez esteja na hora das algumas pessoas porem o seu tento a funcionar para verem que ter um cão é uma escolha que tem que ser ponderada ao mais ínfimo pormenor, e tenham paciência, mas há raças que têm tendências para a agressividade! E se tiverem um "dono" inexperiente o somatório é explosivo!

 

Desfrutar da companhia de um cão deve ser algo positivo.

 

Imagem retirada da net

 

 

 

 

Coisas que não nos agrada ouvir...

 Imagem retirada da net

 

Existem um certo número de coisinhas simples que nos são proferidas no dia a dia que causam um certo, digamos, arrepio.

 

Deixo algumas a título de exemplo,

 

- Olha! Tens uma espinha no nariz! - Pois é meus queridos eu não tenho espelhos em casa e não vi esta coisa do tamanho de uma joaninha mesmo na ponta do meu nacho! Estava mesmo a precisar dessa chamada de atenção!

 

Ou quem não se arrepia verdadeiramente com

 

TLUNC! TLANC!...PONG... - Opss! Ó mãeee!! - A sério? Agh! Já estou com pele de galinha

 

Coisinhas básicas como,

 

- Posso provar do teu prato? - Ninguém, mas ninguém, pode provar do meu prato!!! Ok?

 

- Mãe! Não digas isso à frente dos meus amigos! - Hummm... estamos na hora de sair da pré adolescência, já agora de passar a adolescência à frente! Hã?

 

- Não gosto desses sapatos! - Por acaso és tu que os estás a calçar?

 

- Acabou o sabor de sorvete que tanto queria! Mesmo agora. - Irra!!

 

- Já não temos o seu número! -Seca...

 

- Está avariado e não tem concerto -Ai!

 

-Avariou a placa mãe do seu portátil, lamentamos que a garantia tenha acabado há precisamente 15 dias... - A sério!?! A SÉRIO!!!???!!

 

-Estamos com falta de pessoal, portanto... - Portanto... UfffffA....

 

- Já não há... -Mas não vão voltar a ter? Ou a encomendar? -  Hum... (encolher de ombros e olhar parado) Não sabemos... -Jure?!

 

- Acabou a tinta da impressora -Para imprimir esse documento urgente que tens aí e que tinhas MESMO que levar hoje. Não! Agora!

 

Tlinc -São $$$$$$$$$! - Estão metendo a mão no meu bolso...

 

-Caros Portugueses.... Aqui estão tentando meter areia nos meus olhos

 

 

 

 

 

 

Revelação e Convite

Bem, é chegado o dia de vos fazer a revelação do que significa o meu L., não é nada de especial, é um nome como tantos outros só decidi foi guardar a sua revelação para hoje. E porquê hoje?

 

Durante os meses que estive em casa de atestado, largos meses, por uma doença que me causava dores atrozes eu, enquanto deitada e sem poder fazer mais nada, para manter a minha mente activa ia imaginando histórias, muitas delas perderam-se na mente, pois não conseguia escrevê-las, mas mal pude teclar, e para mobilizar o braço, fui escrevendo muitas delas. Muitas também foram escritas após as ter sonhado. Mas eu tentava ter coragem para enviá-las para uma Editora, apesar de aqui em casa me dizerem que estão giras, mas o meu tento não arranjava essa tal coragem. Sei lá porquê imaginava que me iam dizer "Dada a conjuntura actual de crise, e apesar das suas histórias serem giras, lamentemos mas não é a altura ideal para as publicar...", e arrepiava caminho.

 

No entanto o tento do pessoal aqui de casa foi mais forte! Enviaram os meus contos infantis para a Editora que os vai publicar. E o livro está aí! E o convite para a primeira sessão de lançamento também!

 

Quanto ao nome! O "L" corresponde a Lina, no livro assino com a alcunha pela qual me chamam as pessoas mais queridas - Linuxa -

 

Espero que muitos possam ir, e espero sobretudo que gostem do Livro!

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D