Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Sem vírgula e ansiando pelo ponto final

 

zits_postura.png

SOCORRO tenho um filho adolescente!!!

Isso é o que muitas vezes me apetece gritar. Aliás, acho que a todos os pais de adolescentes, à semelhança das mães que dão de mamar, deveriam ser dada dispensa de algumas horas de trabalho. Mas calma! Obviamente esse tempo seria para descansar a mona e passá-lo a olhar o céu azul e a relva verde. O mantra que repito no meu interior sempre que a "coisa" complica por aqui, " céu é azul e a relva é verde"

 

Raio de fase de "estou irritado com a vida e as hormonas ao saltos não quero saber do que vocês estão para aí a dizer pais que só chateiam deixem-me em paz com o telemóvel e os meus jogos de computador não quero fazer mais nada senão teclar até cair para o lado e precisar de reanimação não me acordem e dêem-me muita coisa para comer!!!!"

 

Uma fase sem vírgulas e que eu hoje precisei que me dissessem que vai ter um ponto final "Vai passar". Mas até lá, DAI-ME FORÇAS Ó UNIVERSO!!!

Torneiras Decidam-se

torneira-moderna-3.jpg

 Eu não sei se já disse isto para aqui, algures, mas digo outra vez, é que ouvi dizer que água mole em pedra dura tanto dá até que fura!

 

E por falar em água o assunto está relacionado com torneiras. A figura de totós que as pessoas fazem, eu muito incluída, sempre que se vai a uma casa de banho que não se conhece. É que agora chega-se a um ponto que nunca se sabe como fazer correr a bendita água, para tirar o bendito sabão, que entretanto resolvemos pôr nas delicadas mãozinhas!

Ou é daquelas com sensor à frente e temos que passar a mão uma, duas, três vezes até que o catano da coisa perceba que queremos água a correr.

Ou parece que tem um sensor mas afinal tem uma alavancazinha escondida e temos que meter lá a gadanha e abrir aquilo.

Ou tem uma alavanca mas esta está presa. Pensamos que afinal é com sensor e passamos a mão à frente da torneira uma, duas, três vezes (a terceira é fatal) para descobrir que afinal se quisermos ver água a correr temos que carregar com o lindo pézinho num pinchavelho que está no chão!

 

Catano! Decidam-se lá e façam torneiras universais ou então deixem um cartaz a explicar como se usa a dita.

 

 

Máquina do tempo

Marcie.jpg

 Há uns dias voltei atrás no tempo.... daquelas viagens que volta e meia fazemos mesmo sem querer.

 

Quando eu era mais pequena era uma criança popular na escola, no entanto, era perseguida por uma miúda bem mais velha do que eu, e com idade suficiente para me deixar em paz! O problema é que era minha vizinha. Qual a causa da perseguição?

Simples. O tamanho das minhas orelhas...

 

Tal como já falei por aqui o meu cabelo é género "pêlo de rato" e com umas orelhas um pouco maiores que o normal elas acabavam por aparecer entre o cabelo.

Ela chegou ao ponto de pichar o muro da minha casa com desenhos de bonecos de orelhas enormes! Isto foi o suficiente para me aterrorizar durante uns bons tempos. E eu não dizia quem era, apesar de o saber.

 

Ela acabou por parar quando finalmente, cansada, acabei por dizer à minha mãe quem era a autora dos desenhos, dos meus choros e da minha raiva contra as minhas orelhas. Como era vizinha uma boa conversa com a mãe dela travou as suas acções.

 

Fui crescendo e apesar de não ser propriamente dotada para as actividades físicas, não era considerada uma totó, mesmo sendo uma das melhores alunas da turma. Isto até ao 6º ano, a partir daí complicou-se. A mudança para o Liceu trouxe-me alguns dissabores. Primeiro, da minha turma só duas raparigas é que foram para ali estudar. E eu acabei por arranjar amizade com uma moça mais calma de outra aldeia. Mais caladas e reservadas acabámos por ser a brincadeira preferida de alunos mais velhos, a Nôr, do 9º ano, e o seu irmão mais velho ainda,  que por acaso frequentavam o mesmo transporte escolar que eu e até viviam mesma aldeia. Tinha que os aturar todo o santo caminho! Para lá e para cá.... No início ainda respondia, o que foi pior, depois calava. Claro que chegava a casa super nervosa e às vezes o choro era a minha escapatória. A minha mãe não soube, mais uma vez, o nome do meu medo. Sim. Destes dois eu tinha pavor! Chegava a ter pesadelos.

 

Foi aliviando quando comecei a repartir o gozo com outro rapaz que também frequentava o mesmo transporte escolar. Éramos o divertimento preferido deles...

Tinham uma característica interessante, eram maus alunos, amigos da farra, não se importavam com as aulas e iam sendo populares. Nós éramos o oposto, bons alunos as conversas eram sobre livros e temas mais científicos. Mas quase nem falávamos todo o caminho com medo se sermos gozados. Quando transitamos para o 8º ano, e a Nôr continuava no 9º, o gozo diminuiu de intensidade. E cessou completamente quando passamos nós, os marrões, para o 9º. E a Nôr percebeu que ia ser ultrapassada não tardava nada. E claro que foi!

 

O facto de ser tímida. Sim, eu era tímida. Corar por tudo e por nada, gostar de ler, de estudar e estar calada era óptimo para os que gostavam de se evidenciar gozando os outros.

 

O interessante é que este tipo de atitudes e este género de pessoas ainda existem por aí aos tombos. Tendo a sua piada aproveitam-na para captar os outros e com isso vão gozando este e aquele. E há sempre quem se ria não percebendo que com isso pode ferir sentimentos alheios. Caramba será assim tão difícil colocar-mo-nos no lugar do outro?

E assim, observando determinadas atitudes, parece que entro na máquina do tempo....

 

 

 

 

Máscara de sorriso

máscara final.JPGMáscara feita por mim - Careto de Podende

 

Um dia disseram-me que eu era demasiado expressiva. Ou seja, quem olhasse para mim sabia o que eu estava a pensar e a sentir. O que em reuniões de serviço não dá jeito nenhum! Principalmente quando queremos assumir a postura de “abstenho-me”.

 

Pensei em arranjar uma máscara, daquelas sorridentes para que não se note tudo o que vai cá por dentro. Apesar de saber que o que a minha face mostra está muito aquém do verdadeiro sentimento.

O que eu sou...

Eu e o Informador andamos na brincadeira com o computador, mas a culpa foi dele que me leva a estas coisas!! Ainda por cima sou curiosa.... nada a fazer.

E de que falo eu?

De uns testes  engraçados (parvos) que aparecem neste sítio. Valem pelo que me ri!

E o que descobri malta foi que passo a vida a reencarnar! Olhem o resultado que me deu

  "3,722 vezes que reencarnou
Você já foi milhares de vidas através de séculos na história. Você é sangue-frio, toma decisões bem ponderadas e trabalha duro para o que você quer. Você carrega consigo o espírito de líder de uma matilha de lobos e de uma árvore de bordo poderosa caindo ao lado de um penhasco, porém presa com as suas raízes. Suas vidas continuam a influenciar você. A evidência está em como você não é mesquinho e pelo modo com o qual você aprecia suas bênçãos."

 

Já me chega! Estou cansada de ir e voltar! 3722 vezes é demais!! Ainda por cima isto está sempre igual! Está dito, da próxima vez passo.

 

Ainda descobri que se eu quisesse ser um super herói teria que mudar de sexo. O que vale é que já há cirurgias para isso. Mas malta que estava à espera da minha ajuda. Desculpem lá eu gosto de ser mulher, portanto vão ter que se arranjar sem mim. Porque não estou para ser isto:

capitao-america-arte-uniforme-4.jpg

 Capitão América

E ainda me dizem isto:

Você é o lendário Capitão América, que está armado com um escudo quase indestrutível que ele joga nos inimigos.
Um jovem frágil foi melhorado ao ápice da perfeição humana por um soro experimental. Você sempre lutará por liberdade e justiça, mesmo que você lute sozinho.

 

Desculpem mas não me convencem...

 

Como personagem da Disney descubro que sou o companheiro do suricate Timon, o Varufakis do bairro blogosférico. Sabem quem é?

Pois... esse mesmo

Pumba.png

Pumba!
" Você é o Pumba! Sua personalidade mais se aproxima do tipo "o artista"! Focado, você está fortemente em sintonia com os seus sentidos. Não há nada que passe despercebido a você! Você gosta de ter o seu próprio espaço, mas você é extremamente leal e comprometido com seus amigos mais próximos. Você pode parecer casca-grossa e confiante, mas, no fundo, você é incrivelmente sensível e frágil. Você perdoa e esquece de problemas facilmente."

 

Ó páh! Até podem tentar convencer-me porque acertaram nas palavras. E Varu sabes que gosto de ti e tal, mas o PUMBA!!!!???

 

E pronto... assim se passaram 20 minutos da minha vida.... a rir e a fazer questionários de adolescente...

Pêlo de rato transformado em porco espinho

cabelos-armados.jpg

 

Como se pode constatar pela imagem do meu perfil, apesar de esta já contar com 5 anos (não tenho outra foto de jeito), tenho um cabelo que é chamado o típico "pêlo de rato"! Uma desgraça autêntica! Fraco, fino, pouco volumoso e, sobretudo, pouca quantidade.

 

Hoje, para dar um ar mais agradável à minha carantonha, fui à cabeleireira, já que parecia a encarnação de um fantasma. E isto não é de agora, mas constato que as cabeleireiras no seu geral tem um grande problema em pentear cabelos finos, quando até são mais fáceis de pentear, é uma ou duas enroladelas e a coisa fica, não há mais para enrolar mesmo. Mas não! As profissionais querem dar-me em 15 minutos aquilo que eu não tenho. Volume e cabelo!!! Então há que colocar todos os produtos que dizem "aumenta o volume". Além disso, enrolam o cabelo levantado a raiz do mesmo até à lua, colocam um fixador para que a coisa não desmorone. E assim saio dali... cabelo todo no ar e rijo como tudo, que tenho para mim que se caísse de occipitais no chão ele servia de capacete!!!

Será difícil perceber que eu já estou habituada a ter o cabelo assim!?

E se o mudam de forma artificial nem me sinto eu! Por isso, muito se admiram quando eu digo; "Por favor não ponha muitos produtos e nem avolume demasiado". Olham para mim como se eu fosse de outro planeta!!!

 

 

Parabéns de tentativas

bolo.jpgBolinho feito por mim com a preciosa ajuda do sous-chef o meu filhote

 

 

Tudo começou porque não vejo telenovelas e assisto a pouca televisão, além disso passava a vida a dizer "Tenho que escrever isto!". Com alguma insistência do meu home e com a minha vontade de comunicar resolvi, há 4 anos atrás, criar o "Eu tento mas o meu tento não consegue"!

 

Já por aqui disse que o título resulta da uma preciosa frase que o meu filho soltou depois da nossa persistência para que ele dormisse, quase em desespero de causa eu digo-lhe "Filho por favor tenta dormir..." e ele responde com esta pérola, "Mãe eu tento mas o meu tento não consegue!".

 

504 post depois e com 8139 comentários cá continuo. Muitas foram as vezes em que pensei abandonar a Blogosfera, mas algo mais forte do que eu me empurra para cá!

 

Mas porquê ter um blogue? Que piada tem andar aqui a escrever o que penso e o que me acontece?

 

Para mim é uma excelente terapia. Liberto os meus pensamentos e além disso conheço outras formas de pensar e outras vidas. E conheci por aqui tanta gente maravilhosa! Alguns dos quais até já me encontrei pessoalmente! E pude ver que são tão queridos como eu pensava! Diz-se que não sabemos quem está por trás do teclado. Pois eu digo que mais cedo ou mais tarde o verdadeiro "eu" acabará por surgir. Felizmente tenho tido o privilégio de vos conhecer! Obrigada as pessoas deste bairrinho da Blogosfera que me dão a honra de vos ler e que muitas vezes me deixam o vosso miminho em forma de comentário.

 

Parabéns ao "Eu tento mas o meu tento não consegue" e a todos vós que o alimentam com as vossas queridas visitas. Entrem, sentem-se e sirvam-se de uma fatia de bolinho caseiro!

Explicações....

microlax.jpgProvavelmente já todos conhecem o medicamento acima, pelo menos de ouvir falar, mas mesmo assim passo a explicar. É um laxante de contacto. Um dos problemas que se tem é partirmos do princípio de que é óbvio a forma de utilização de um laxante. Pois bem, o que vos passo a contar foi uma situação que se passou num Hospital no Porto com uma amiga que é enfermeira.

 

Num Serviço de cirurgia um utente, que era totalmente independente, tinha que fazer um exame intestinal, e para isso o intestino devia estar limpo. Com tal, tinha indicação de realizar um laxante de contacto, o tal Microlax, de manhã num determinado intervalo horário antes da realização do tal exame. Surgiu então este diálogo entre a minha amiga e o senhor em causa.

 

- Sr. Xy não se esqueça que é hoje o seu exame, às ... horas, e precisa de colocar este tubinho- disse mostrando o tubo de Microlax. Não se esqueça de introduzi-lo, apertar e retirar ainda a apertar! Está bem?

- Sim Srª Enfermeira. Já vou fazer isso!

 

A minha amiga foi realizar o resto das suas tarefas, e passado algum tempo, foi verificar se o laxante tinha obtido o efeito pretendido no utente.

- Então Sr. Xy? Já fez efeito o tubinho?

 - Sim Sr.ª Enfermeira! Já estou a respirar muito melhor pelo nariz! Estava mesmo entupido! - disse o utente a sorrir e a inspirar pelo nariz como demonstração do efeito do medicamento milagroso....

 

Escusado será dizer que a enfermeira naquele momento não teve nenhuma vontade de rir. Afinal tinha um intestino para limpar, mas o nariz estava desobstruidissímo!!!

 

Conclusão, mesmo as coisinhas mais simples e óbvias têm SEMPRE que ser bem explicas!

A assistente irreverente

aplicações.jpgHá uns dias atrás numa viagem de carro o meu home queria mostrar-me, orgulhoso, a nova aplicação que instalou no seu telemóvel. Tratava-se de uma assistente a quem ele pediria para pesquisar algo na internet e ela dir-lhe-ia a resposta. Tudo isto por voz, com o sistema mãos livres. E não fosse a irreverência da sua assistente a coisa teria resultado...

 

O diálogo que surgiu:

Home- Quantos quilómetros são daqui ao Porto?

Assistente e a sua resposta - Posso pesquisar a cotação das suas ações se quiser

 

Home repete mais alto a pergunta, e perto do telemóvel - Quantos quilómetros são daqui ao Porto?

Assistente e a sua resposta- Quer que lhe envie os seus mails? Posso fazê-lo!

 

Home e um suspiro - Olha, és burra!

Assistente e a sua resposta- Ser ou não ser eis a questão.

 

Home noutra tentativa - Qual a previsão meteorológica?

Assistente e a sua resposta- Não sei o que quer dizer mas em breve serei craque!

 

Home em desespero de causa, com a mão pronta a desligar a assistente - Vai-te ....!

Assistente e a sua resposta - Não sei o que quer dizer mas prometo que vou melhorar.

 

Tadinha até fiquei com pena da aplicação, ela bem tentava...

 

 

 

According Spelling

menino-escrevendo.jpg

 Digam-me, quantos de vocês acharam o meu título em inglês estranho?

 

Talvez alguns, mas não passaria daí. Achariam estranho mas normal.

Assim como é normal irmos a "Workshops". Assim como em conferências, ou seminários, é frequente, e normal, escreverem no programa o "coffee break", e termos até alguns títulos em inglês. Ninguém acha estranho andar pelas ruas e ver grande parte das nossas lojas com nomes escritos em inglês, e obviamente não falo daquelas com marca importada. É normal fazermos running, cycling e termos health clubs!

Escrevemos post em vez de artigos! Temos montanhas de títulos de blogues, de portugueses, em inglês! E tudo isto é aceite, considerado "in" (sim, é de prtopósito esta), normal e é mais do que frequente!

 

Agora alguém me explica o porquê de tanta celeuma por causa do acordo ortográfico?

 

Quanto todos os dias assassinamos a nossa língua materna? 

A substituímos incessantemente por palavras que até temos em português por outra língua diferente da nossa!!?

 

É que não faço objecção a objeção, mas faço a objection! E convenhamos, mesmo sem o "c" é mais parecido com o que já usávamos!

Claro que é difícil a adaptação! Obviamente que não concordo com algumas mudanças e até acho estranho escrever de forma diferente daquilo a que estava habituada.

 

Eh páh! Mas acho muito mais estranho ler um programa de um ginásio com a maior parte das  actividades escritas em Inglês! Deveras preocupante ver num seminário, em Portugal, onde só irão portugueses (e nem que assim não fosse!) ver que não temos intervalo para café e temos um coffe break! Ver que deixamos de ter reuniões e passamos a ter brifing! Deixamos de ter oficinas de trabalho e temos os Worshops! Deixaram de existir questionários para existirem os "Quiz"!!!

 

A sério, qual é o problema do povo português que importa tudo quanto é "inglesismo" e acha estranho retirar um "c" das palavras, mudar um ou outro hífen e uns acentos? Não será drama a mais?

 

 
 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D