Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Existimos meus caros, inté ver ...

Engraçado que para um interior maioritariamente PSD,e que tem sido esquecido por sucessivos Governos, inclusive pelo dos "seus olhos" seja lembrado por um dos partidos que menos votos tem .

 

Mas politiquices à parte, quero falar com um olhar de quem não é Transmontana de gema mas que tem um pouco da sua alma... quero falar-vos do Trás-os-Montes real, daquele sítio de avós, de homens de mãos de pele dura e enegrecida, das mulheres vestidas de negro e das crianças de face ruborizada. Esse Trás-os-Montes ainda existe, não está assim tão distante no tempo, nas lembranças dos muitos que daqui partiram para as grandes cidades.

 

Convido-vos a entrar neste interior Transmontano onde ainda se vêm pessoas simples, no seu pensar e no seu trajar, pessoas envelhecidas em aldeias esquecidas pelo evoluir dos tempos, que nos tratam com carinho e com candura. De resposta pronta sempre que algo não lhes agrada mas de perdão fácil! Passionais!

 

Entrem nestas aldeias onde está mais quente na rua que dentro de casa, onde a par da coscuvilhice anda a entreajuda dos vizinhos.

Visitem comigo aquela aldeia onde conheço a história de vizinhos que se juntaram para fazer um quarto com casa de banho e com algumas comodidades simples, mas grandiosas na intenção! Na intenção de ajudar um idoso que não tem família e que vive numa casa a cair. Que se recusa a sair mas que não consegue manter essa recusa perante tanta generosidade.

 

Entrem comigo, e provem aquele bom vinho, o nosso "Cancelão" ou o "Encostas do Rabaçal"! E claro. provem as nossas castanhas e a nossa doçaria que não ficam atrás de nenhum pastel de nata de Belém. Fiquem e aqueçam-se nas lareiras que ainda ardem, apesar do pouco dinheiro que esgota para comprar mais uma carrada de lenha.

 

Vejam o nossa Universidade e as nossas Instituições de ensino superior de onde partem muitos profissionais deixando e levando saudade.

 

Entrem comigo nas nossas cidades onde pulsa o interesse pela cultura, pelo saber! Que se esforçam por fazerem dela um lugar digno e notório.

Usufruam das nossa belas paisagens e do cheiro a pinho, e claro da doçaria.

Conheçam o carnaval de Podence e os dias trezes sextas em Montalegre.

 

Sintam estes montes!

 

Espero que tenham gostado desta breve visita. O meu tento tentou transpor para o écran de um computador o que é intransponível!

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D