Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Eu tento, mas meu tento não consegue!

E pior do que não conseguir é nunca ter tentado... Bem vindo! Faça de conta que está em casa :)!

Socorro!!!! Estou careca!!!!

Bem, antes de ir ao título do post, tenho que dizer que estou com um certo sentimento de culpa por hoje não ter conseguido apoiar o meu filho como deve ser. Chorar com ele quando ele chorou.

Mas acho que tenho uma desculpa para isso.

 

Ora, cá em casa os homens decidiram andar com corte de cabelo a pente 3 ou 4.  Tínhamos uma maquineta de cortar que eu usava para lhes arranjar o cabelo. Mas, ultimamente, o meu filho corta sozinho, e eu só vou ajudar nos aperfeiçoamentos e acertar. Então, como estava a compensar monetariamente cortar em casa, decidimos investir numa máquina de corte melhor.

 

O problema é que o pente 3-4 na nova máquina é na posição 9. Já estão a ver?

 

O meu filhote decidiu cortar o cabelo hoje quando chegou da escola. Mal cheguei a casa, e ainda sem poisar a carteira e inspirar, ouço o grito.

- MÃE! ANDA CÁ DEPRESSA QUE EU FIZ ASNEIRA!!!

 

A mãezinha aqui sobe as escadas e dá com um corte pente 1 em vez do habitual 3-4!!! O que faço?

Impossível não gargalhar até não poder mais! E o desgraçado continua...

 

- Ó mãe não te rias. O que faço agora??? E eu que queria cortar o cabelo antes da festa para que ele crescesse um pouco!! O QUE FAÇO AGORA??!!!  O que é que faz crescer o cabelo???

 

Obviamente que a resposta, no meio do riso, só podia ter sido uma, o tempo....

 

 

E agora? Estou desculpada, não?

 

carecada.jpgFoto devidamente autorizada pelo interveniente. E eu que nem sabia daquele sinal!!!!

 

 

 

 

 

 

Ó Balha-me...

tattoo.jpg

Foto, mal tirada, do meu telemóvel. Obviamemte o aspecto não é o final, pois está em vias de cicatrização

 

 

Pois é meus caros, fiz uma tatuagem! Há anos que tencionava fazer uma e foi desta que resolvi.


Tem sido quase objeto de estudo verificar a reação que as pessoas têm ao desenho que resolvi fazer na pele.

 

Primeiro, tenho as que odeiam à partida, sem saberem o que é que está desenhado, gritam a pergunta, ainda a duvidar o que os seus olhos vêem, "É uma tatuagem!?". Costumo sempre responder que são calquitos, mas parece que não se deixam enganar...

Depois começam... É nojento, asqueroso e tem um estigma terrível!!! E perguntam a seguir, "Como é possível que tu queiras fazer algo assim?"

 


Depois tenho aquelas colegas que me dizem, “Olha lá se querias fazer uma tatuagem porque é que não fazias onde ninguém visse?”. Género aquelas pessoas que varrem o lixo para debaixo do tapete.

 

Há ainda as pessoas que acham que já não tenho idade para fazer tatuagens. Parece que a partir dos 40 temos que começar a vestir gola alta, mangas compridas, collants e usar lencinho na cabeça…. Ah! Tudo isto em cores apagadas, como o preto, beije e cinzento. As restantes cores são demasiado fulgurantes. E não se esqueçam que os vestidos e as saias têm que ser usados abaixo do joelho!!! Olha agora a querer mostrar as pernas, onde já se viu!?! (e para os que querem saber, tenho que ouvir sempre comentários acerca dos meus vestidos mais acima do joelho, portanto isto é a sério!)

 

Há os indiscretos, "Olha, o que querem dizer as andorinhas?" . Se eu respondo, têm um significado pessoal, ainda insistem, como se eu não tivesse percebido bem à primeira "Mas qual é o significado?".

 

Claro, que há também quem goste, quem quisesse fazer mas afinal por isto ou por aquilo não fizeram.

 

Por último, e a reacção que eu gosto mais, olham de longe e a apertar os olhos, julgo que para focarem melhor, pegam no meu braço e exclamam "Ó Balha-me...." 


Prova que és humano

robo.jpg

 

Eu gosto imenso de percorrer a blogosfera, e isso inclui visitar blogues fora da Sapo. O que não gosto é de ter que provar que não sou um robô.

 

Quando essa prova consiste unicamente em colocar num quadradinho uma cruz a dizer que não, não sou um robô, menos mal. Agora, quando me fazem escolher numa imagem os quadrados que têm placas de rua, depois noutra imagem querem que escolha carros e se não tiver nenhum dizem para pular de imagem, a seguir tenho que escolher, outra vez, quadrados com carros mas, felizmente, eles agora até estão lá, é então que parece que admitem que não sou um robô.

 

Mas acreditando numa teoria de um livro que saiu há pouco, que diz que existirá a seguir ao Homo-Sapiens o Homo-Deus, um homem com peças robóticas por forma a prolongar a existência, algo perfeitamente possível e que até já se vai verificando. Quero ver como é que vai ser!!

 

 

 

Questionários...

Quando pretendemos entrar em território americano temos que responder a um questionário, julgo que a maioria já sabe isto, e para quem pretende saber as perguntinhas deixo a ligação , está em brasileiro, mas julgo que a gente percebe, né?


Mas é sobre uma questão que reside a minha dúvida.

Aquela que diz,

 

...Você já se envolveu em actividades terroristas?


Será que, na resposta a esta questão, quem foi na viagem de finalistas a Torremolinos terá que responder  "sim já me envolvi em actividades terroristas" ?

 

 

 

Não há condições

bainha.jpg

 

 

Há uns dias tivemos que ir com o meu adolescente às compras! Os tipos crescem e andamos sempre a comprar roupa e nunca temos roupa! Adiante...

 

Depois de experimentar uma série de calças ele sai para fora do vestiário sem nenhumas para levar.

"Então? Experimentaste tantas e não gostas de nehuma?" - Eu-

- Filhote - "Gostar, gostei, mas ficavam muito compridas nas pernas"

 

 

Ó BalhameDeus ....

Andar aos papéis

burocraciaplus.png

 Imagem retirada daqui

 

 

A burocracia é algo que transforma o fácil em difícil, ou até mesmo em desesperante. E é desde muito cedo que se começa a complicar...

 

O meu filho partiu, inadvertidamente, o cartão de estudante, como tal, foi à secretaria da Escola para tratar de um novo cartão. Óbvio. O que não foi óbvio foi o que se passou a seguir.

 

  • Da secretaria mandaram-no à papelaria.
  • Na papelaria deram-lhe um papel para eu assinar.
  • O papel veio para casa e lá o assinei.
  • A seguir ele vai à secretaria, e nesta ficam com o papel assinado e dão-lhe outro papel e mandam-no à papelaria outra vez!
  • Na papelaria, segundo ele diz, fazem umas coisas que ele não percebe, dão-lhe um talão, cobram 3.50 € (que antes só custava 1.50€) e recambiam-no para a secretaria.

E só aí, finamente lhe dão o cartão!

 

 

Agora pergunto eu, com menos papel não seria possível colocar o preço do cartão mais barato?

Afinal e as preocupações com o ambiente, com tanto gasto de papel e de solas de sapatos, como ficam?

Não à reutilização!!

A imaginação e criatividade permite-nos reutilizar muitas vezes objetos que de outra forma teriam como destino um qualquer aterro sanitário.


Um armário velho, desgastado pelos anos, se for pintado de uma cor alegre pode ser reutilizado. Caixas de fruta podem dar prateleiras, e os exemplos não parariam se eu quisesse continuar a divagar sobre isso. Mas o que eu quero dizer é que há limites! E encontrei o limite há uns dias como podem verificar nas imagens abaixo. Mesmo com a má qualidade da imagem, já que as fotos foram tiradas com telemóvel, ao entardecer e de longe. 

 

 

retrete FF.jpg

Sim. Estão a ver bem! É uma retrete! Não está a cumprir a sua função original e ,como provavelmente acharam que ela já tinha tido maus cheiros que lhe chegassem, resolveram dar-lhe um final melhor, com flores....

 Mas ainda não é tudo.

 

banheira FF.jpg

 Como podem constatar aquela coisa era uma banheira... Que reutilizada dá um "belo" (cof... cof) canteiro de flores!!!

 

E agora a visão completa.

wc Fonte Fria.jpg

 

 

Ainda existia uma parte  do WC que falta aqui, que era o lavatório, mas já não deu para tirar mais fotos porque o cão da casa não parava de ladrar e achei melhor pisgar-me dali, mas acho que deu para perceber o bom gosto reinante por ali, e a capacidade criativa na reutilização de materiais que, na minha modesta opinião, destoam um pouco no meio de um jardim.

 

Tudo bem, gostos não se discutem. Mas e quando o gosto é MESMO muito mau? Péssimo até?

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D