Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

Quando os coelhos põem ovos

coelho ovos.jpeg

Perto da Páscoa, uma festa importante para os católicos, interessou-me saber o que raios faz um coelho com ovos coloridos no meio da ressurreição de Cristo?

 

O que consegui da minha investigação? Pois bem, deixo aqui o produto dela, e de entre muitas que encontrei, a quem faz mais sentido para mim. E porque aprender dá saúde e faz crescer!

 

A Páscoa anunciava o fim do inverno e a chegada da primavera! Em suma, a passagem da escuridão do inverno para a luz da primavera. Isto muito antes de ser considerada uma festividade importante para os cristãos.

A palavra “Páscoa” – do hebreu “peschad”, em grego “paskha” e latim “pache” – significa “passagem”, uma transição anunciada pelo equinócio de primavera (ou vernal), que no hemisfério norte ocorre a 20 ou 21 de março e, no sul, em 22 ou 23 de setembro.

 

O curioso é que  festa cristã da Páscoa tem origem na festa judaica, embora com significados diferentes.

Para os Judeus, Pessach, representa a libertação do povo de Israel no Egito, onde estavam escravizados pelos faraós. No Cristianismo, a Páscoa representa a morte e ressurreição de Jesus, que supostamente aconteceu na nessa altura. As duas crenças acabam por se fundir, já que em ambos os casos significa o início de uma passagem para uma nova vida, uma nova era.

 

E porquê o coelho e os ovos no meio disto tudo?

Pois bem, o coelho representa a fertilidade, dada a sua elevada capacidade reprodutiva. E entre os povos da antiguidade a fertilidade era sinónimo de preservação da espécie e melhores condições de vida, numa época onde o índice de mortalidade era altíssimo. Por exemplo, consta que no Egito Antigo o coelho representava o nascimento e a esperança de novas vidas.

Isto relaciona-se com os significados religiosos, tanto no Judeu, como no Cristão,  se pensarmos que há aqui uma esperança de vida nova, e que é trazida pela figura do coelho! E dentro deste contexto ovos de Páscoa (de chocolate, enfeites, jóias), também simbolizam a fertilidade e da vida.

 

Mas esta explicação do coelho pode também estar relacionada com  uma lenda muito interessante que que narra a vida de uma mulher pobre que escondeu ovos coloridos num ninho para entrega-los aos filhos na manhã da festividade religiosa. Contudo, quando as crianças descobriram o lugar, um grande coelho passou rapidamente e espalhou os presentinhos, dando aos pequenos a ilusão de que o bicho carregava e distribuía os ovos.

 

E como sempre, há mais versões desta história do coelho, e que ganhou mais força no  continente americano, com a imigração alemã, no século 18. Para os alemães, à época, era muito comum esconder ovos de galinha pintados à mão em grandes quintais para as crianças os encontrarem. Agitados com a movimentação dos pequenos, os coelhos que ali viviam saltavam de suas tocas. Com o tempo, os adultos uniram os ovos e os coelhos numa história, dizendo aos filhos que os animais tinham trazido os presentes de Páscoa.

 

Eu descobri, entretanto outra explicação super interessante, e mais pagã desta festa.

Na Idade Média, nesta época do ano, os antigos povos pagãos europeus, homenageavam Ostera, ou Esther – em inglês, Easter quer dizer Páscoa.

 

Ostera (ou Ostara) é a Deusa da Primavera, que segura um ovo em sua mão e observa um coelho, símbolo da fertilidade, pulando alegremente em redor de seus pés nus. A deusa e o ovo que carrega são símbolos da chegada de uma nova vida, mais uma vez aqui retratada!

 

ostara1.jpg

 

Estes antigos povos pagãos comemoravam a chegada da primavera decorando ovos.

 

O ovo é um símbolo que praticamente se explica por si mesmo. Ele contém o fruto da uma nova vida, que representa o nascimento, o renascimento, a renovação e a criação cíclica. De um modo simples, podemos dizer que é o símbolo da vida.

 

Resumindo tudo o que se celebra é a vida! Uma nova era que nasce.

 

E se olharmos bem ao nosso redor é mesmo isso que vemos brotar em cada flor que surge, em cada folha que adorna as árvores outrora despidas, nas andorinha que regressam, enfim, na vida que pulula com toda a sua força. Talvez isso seja mais notório, para nós, no velho continente. E talvez, por isso, existam várias explicações para esta quadra.

 

Seja como for, celebrem a vida! E se for com o fofinho e simpático mamífero trazendo ovos de chocolate? Tanto melhor!

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub