Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

A força do negativo

Imagem retirada da net - Obrigada a quem a disponibilizou

 

Tal como tinha dito por aqui ando nas minhas investigações sobre adestramento canino, dado que o tempo é uma coisa tramada para os neurónios e como já fazem 15 anos desde o primeiro adestramento há muitas coisas que preciso relembrar e outras que quero aprender. Sempre tive a mania de ser autodidata. Gostaria de frequentar um curso sobre o tema, mas sejamos realistas, estou em Trás-os-Montes onde a preocupação com adestramento é igual a da plantação de um bananal aqui na zona...

 

Mas isto tudo para dizer o quê?

Por muito estranho que pareça ao tentar saber mais sobre como me aproximar dos cães mais sei sobre os humanos, nada que não me leve a uma determinada reflexão (quem me conhece já sabe que isto me acontece volta e meia e é passageiro).

 

Novas investigações e novas experiências demonstram que o "treino positivo" é o mais eficaz com os cães e que traz resultados mais duradouros e sem risco de danos "efeitos secundários" no comportamento canino.

 

Ou seja, temos por hábito recorrer a um castigo para parar um determinado comportamento (mesmo que seja temporário), isto é válido também para crianças, estou a falar a sério! Por isso a pessoa que impõe um castigo é reforçada positivamente. Como o comportamento indesejado cessa existe a crença de que o castigo resulta. Mas resultará sem custos?

Ao que parece não.

Mais tarde podem surgir os seus efeitos. E ninguém se lembrará da história que está por detrás.

 

No entanto,  investigação científica concluiu que um castigo pontual, num determinado acontecimento e num contexto de reforço positivo, não causará muito estrago. Por isso, sim, talvez tenhamos que usar o castigo, "ou numa emergência ou por causa de uma falta de informação temporária, mas o castigo nunca deve ser usado como o tratamento de escolha". (retirado do blogue CâoSciência). Pensem se isto será só com os cães?



Muitas vezes até estamos cientes disto, e talvez não seja uma novidade assim tão grande, então porque é que se insiste no castigo?

 

A maior parte das vezes não é assim tão eficaz, veja-se as reincidências dos comportamentos que queremos eliminar, e os efeitos que trazem psicologicamente não são dos melhores. Pois é, deixa que pensar... e se procuramos bem a resposta está à vista. O reforço que nós obtemos por usar o castigo é muito forte!

E se pensarmos bem a própria humanidade é toda ela virada para a punição e castigo. Não seria de repensarmos em mudar os nossos métodos?

 

Vou dar um exemplo. Não será mais produtivo dizer a uma criança "tens que fazer os trabalhos de casa, pois teus amigos amanhã vão para o parque jogar, ou fazes os trabalhos hoje e amanhã vais, ou hoje jogas no computador e amanhã ficarás a fazer os trabalhos". Castigo? Não. Hipótese de escolha. Não será melhor do que chegado o dia  e o(a) castigarmos com, "Não fizeste os trabalhos agora ficas de castigo e não vais brincar"

 

Obviamente talvez estes métodos não funcionem em todas as situações mas pode trazer-nos alguma reflexão. Será que não poderíamos agir de outra forma?

 

É claro que nem sempre nos lembramos de ser positivos, e pior ainda, nem sempre temos tempo...

Mas seria de tentar sermos mais positivos acho que valerá a pena. O problema está em consegui-lo sempre.Eu sei...

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub