Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

Somando a 4 Patas

Tudo começou com um pedido lançado por uma prima no FaciCoiso…

O pedido era para dar guarida a um gato de rua FIV positivo já com problema renal. Ninguém queria o gato e ele já estava há uns tempos numa clínica veterinária. E a minha prima arcava com as despesas, já que ela não podia ficar com ele, pois tinha outro gato muito territorial. Aqui a Maria aceitou o bichano. Afinal, um animal no fim de vida merece alguma estabilidade. Ainda fiz um post sobre a epopeia que era dar-lhe a medicação.

O gato morreu passado um mês...


Dali a poucos meses recebo um telefonema, de quem já sabe como é a menina aqui, para socorrer um gato que não aparentava estar bem . Estava todo encolhido, com uma ferida perto da boca um dente partido e, claro, muito assustado. Levei-o para casa pensando que iria ser por pouco tempo, já que tudo parecia apontar que ele teria dono e que devia mesmo era ter-se desequilibrado de alguma varanda perto de onde ele foi encontrado. Isto na rua paralela à minha casa. Tratei dele, e devo dizer que mal entrou em casa parecia outro e colocou-se logo à vontade! Dali a dois dias já se deitava perto do cão e a amizade estava travada. Colocamos avisos em vários locais estratégicos e até na grande superfície cá do sítio, o Pingo Doce, mas o dono não apareceu.... e o bichano ficou… É um tipo que gosta de rua, vem aqui para comer dar uma converseta com os animais que são mais caseiros e volta à sua vidinha, é o caçador cá do sítio.

apareceuMiuki.jpgMiuki quando apareceu, assustado!

 

gato cadeirão.png

Miuki, o gato caçador, uma semana depois de encontrado

 

Miuki2016.jpgMiuki, em 2016, chateado por estar nas fotos e não nas festas =)

 

Uns meses depois aparece à minha porta e não sai de lá esta bichana

Bichana1.JPGBichana de rua 1

 

 

Era um doce. Consegui ajuda de uma associação, a AMICA, para a esterilização e também se conseguiu dono! Teve sorte.

 

Passado um ano, mais coisa menos coisa, mais uma vez vejo novo apelo no Facicoiso. Acho que devia deixar de ver os murais de associações de animais… Desta vez falava sobre um gatinha, a Mica, que tinha sido recolhida pela associação e sendo tão meiga e ainda novinha, tendo à volta de 7 meses, tiveram pena de devolvê-la à rua e ficou no Veterinário. Já lá estava há um mês. Pediam FAT, uma família que a acolhesse temporariamente até surgir alguém interessado em adotá-la. Pois sim… temporariamente... Foi adotada, sim senhor. Por mim! Adoro-a! É a minha menina, como eu lhe chamo. E é um doce.

Micasofá.JPGA minha Mica, a princesa da casa =)

 

Desde há uns dois meses e meio até agora que apareceu, mais uma vez,  aqui no pátio da traseiras de minha casa, devo dizer que é local onde está o cão quando faz bom tempo, uma gatinha muito magra, medrosa e que não devia ter mais de 3 meses!!! Fugia de nós mas adotou o cão como paizinho! Extraordinário que um animal tão medroso se aproxime de um cão daquele tamanho e doido da pinha!!! Meigo, sim, mas doido!

 

tóbigata.jpgGata mais o paizino. A foto está mal porque se me aproximava ela pirava-se!

 

Bichana.jpgGata passados um mês, em que já entrava em casa mas ainda se assusta com a  aproximação. Tem um ar triste :(

 

Como fui avisada que se entrasse mais um animal cá em casa eu teria de sair, não posso adotar a bichana! Que é linda! Parece daqueles gatos de raça Bengal! Mas ela também não desampara!

 

Dou-lhe de comida, claro, esperam que eu deixe um bicho sem dono e perdido morrer à fome?

Pus-lhe uma caminha no pátio. Que querem? Está frio!

Dorme dentro do armário que tenho no pátio, e arranjei um ninho para ela. E agora? Não posso deixar um bicho tão novinho morrer de frio e molhar-se com a chuva!

 

Que culpa tenho eu que uma gata, vinda sabe-se lá de onde tenha adotado esta casa e o cão?

 

Claro. Nenhumazinha!

 

 

 

Pêlo a mais

Hoje percebi o quanto tenho pêlo a mais cá por casa, quando me viro para a gata que estava a rebolar no chão e lhe digo "Mica sai do chão que te enches de pêlo??!!!"

 

Estranho? Isso não diriam vocês se tivessem um monte de pêlos de um cão a cair  todo o santo dia!!!!

Raisparta o tipo que parece que tem pêlo até à eternidade e é sempre dia de nevada cá em casa!

Além disso o meninos gatos cismam de andar sempre junto à neve de pêlo! Isto é o cúmulo! Tirar pêlo de cão a gatos!!!

Três animais.JPGO Miuki (encontrado na rua e acolhido até aparecer o dono, que, claro, não apareceu) a Mica (de quem sou FAT, pelo menos intéver) e o monte de pêlos ambulante o Tóbi

 

 

Mica e Tobias.JPGA Mica a encher-se de pêlo na cama do Tóbi....

 

Brincar gato2.JPGO Tóbi e o Miuki na confratenização, e mais uma vez um gato a encher-se de pêlo de cão...

Brincar gato.JPG

 

 

Gregório vai ao tapete

 

tapetes.jpeg

 

 

Habito numa pequena casa independente, daquelas geminadas, todas iguaizinhas. Tem 3 quartos, 3 casas de banho, uma garagem, cozinha, sala e um pequeno pátio nas traseiras onde a bicharada pode arejar, e por bicharadas entenda-se cão e gato. Para evitar a acumulação de pêlos e pós não tenho tapetes em casa, a única excepção é um pequeno tapete que temos, e que está na divisão entre a cozinha e o pátio das traseiras, para quem vier do pátio possa limpar as patinhas (humanos e animais). 

 

Como tal, com tanto espaço disponível, alguém me pode explicar porque é que os digníssimos dos meus bichos vão chamar o Gregório para cima do ÚNICO tapete que existe na casa???!!

 

 

 

 

Cão & gato

Quem passa por este cantinho já deve ter notado que sou a menina que tenta salvar todos os animaizinhos que encontra pelo caminho. Tenta... mas não consegue.

 

Como há mais quem conheça essa minha faceta há cerca de dois meses uma amiga telefonou-me dizendo que tinha encontrado um gato em estado de choque num canto, aqui perto na rua. Fiquei com o gato pensando eu que era transitório. O bichano era meigo e notoriamente deveria ter dono. Tinha um dente partido e uma ferida no "lábio", de resto aparentava estar bem tratado e de boa saúde. Segundo a minha opinião, e da veterinária a quem levei, ele ou teria caído de uma varanda ou levado uma pancada de um carro. Espalhamos cartazes pela região, incluindo os supermercados, bem como avisos via FaceCoiso. O dono não apareceu... e o gato foi ficando...

 

Cá por casa também já há um cão que está com dois anos. Apesar de eu achar que depois do meu primeiro amigo canino nos ter deixado eu nunca mais conseguiria ter outro. Mas quem gosta deles gosta...

Com este nosso 4 patas eu sabia que não existiria problema, é super meigo e está habituado a brincar com o gato da minha vizinha. Mas e o gato? Tanto quanto sei gato e cão não é uma mistura frequentemente pacífica.

 

Bem... o gato ficou no segundo andar da casa e desceu quando se sentiu com coragem. O que não tardou. Em duas semanas estavam assim,

Tobias Gato dormem juntos.JPG

Brincam como se tivessem sido criados juntos! Ambos têm bom feitio.

 

É a primeira vez que convivo com um gato em casa e estou a aprender a lidar com felinos. E são estas as coisas que já aprendi,

  • Miam que se fartam quando querem algo. E o miar é para lá de aborrecido, principalmente quando parece que os estão a esfolar vivos só porque querem comida!
  • Limpar a caixa de areia faz-me lembrar um campo minado! Nunca sei onde vai rebentar uma mina!
  • São mais senhores de si
  • Descobri o sentido da expressão "A curiosidade matou o gato". É que são tipinhos para meter o bedelho em tudo!

  • São mais difíceis de treinar que um cão. Não porque não entendam, ou sejam burros. Apenas porque entendem o que querem!
  • Têm uma agilidade impressionante
  • Conseguem ter uma postura aristocrática invejável
  • Têm uma elevada auto estima. Deviam dizer a um gato para escrever um livro de auto ajuda!
  • Ah! A expressão "Gato escondido com rabo de fora" também ganhou dimensão,

 

gato rabo de fora.JPG

 

 Apesar de gostar de todos os animais considero que sou pessoa de cães. Acho que fazem um esforço para nos perceber, para chegar mais perto de nós. Talvez seja por isso que me dizem que os gatos são mais independentes. O que acho é que são é muito espertos. Obtêm o que querem e só dão o que lhes dá na veneta. Os cães dão tudo o que têm! 

 

Mas que o raio do bichano tem piada, lá isso tem!

gato cadeirão.png

 

 

Treino canino

Tóbi Tobias doido todos os dias! =)

 

Como sabem os meus leitores tenho um exemplar canino que nos faz companhia. Ele é um verdadeiro doce, mas, parece que há mesmo sempre um mas, tem uns defeitos que me têm dado alguns dissabores.

 

Um dos seus defeitos é o de pular para as pessoas. Mas não pula de uma forma qualquer! Pula mordiscando!! O que com o seu arcaboiço é uma grande chatice. Os dentes aleijam e o seu peso idem. E para isto contibui as brincadeiras do meu adolescente, a quem já me cansei de repetir que o estava a treinar ao contrário. Bem, o que se segue é que este hábito começa a tornar-se chato, já tento rompido uma camisa nos seus ímpetos; e até pode ser perigoso, quando se pensa que temos na família alguém com 91 anos e que pode levar com um monstro peludo com molas e demasiado feliz. 

 

Outro defeito, não menos preocupante, é a sua terrível apetência pelos seres da mesma espécie! O que até é normal, mas que é deveras incómodo quando ele se esquece que vai de trela e não pode dar esticões e desatar a correr por estrada fora, pelo meio de carros a andar,  para se apresentar a um cão (ou cadela) que ele vislumbrou a metros de distância! E lembrando que este menino peludo já foi atropelado devido à sua extrema simpatia e hábito de cumprimentar todo o bicho careto, seja pessoa ou animal.

 

O que me restava?

 

Pedir ajuda a quem sabe mais de treino do que eu. E essa ajuda veio em boa hora de alguém que me ficou com ele nas férias e aproveitou para treinar. Sendo uma pessoa extraordinária e levando só o preço que costuma levar pelo que se chama agora de "Pet Sitting", está muito na moda, sabiam?

 

Quando o fomos buscar parecia um cão diferente! O que ela nos disse é que ele estava muito próximo da perfeição. Não pulava em ninguém na casa dela, não corria atrás de outros cães. Enfim, quase um milagre. Ok... mas o trabalho não cessa aqui. É premente que se continue com o que a treinadora começou. Há que transportar o que ela fez para nossa casa. Para o ambiente que ele conhece e onde até agora se comportava de determinada maneira. Em suma. Devemos ensinar-lhe a transferir os comportamentos aprendidos para nossa casa e para os ambientes que ele conhece. Porque a "cura" não é imediata! E isto irá custar-nos até mais a nós do que a ele.

 

Para começar, nada de festas quando chegamos de trabalho ou quando o vejo de manhã. Principalmente eu, que sendo o primeiro membro a acordar e a chegar do trabalho, levo logo com todo o seu entusiasmo! Nada de festas, braços cruzados, nada de contacto ocular, e desviar-me se ele pula e prevendo esse comportamento devo mudar de direcção, fazendo com que ele não me toque sequer!!! As festas só devem ser feitas com ele calmo, muito calmo, e  de preferência deitado. Tudo para que ele perceba que deve estar calmo para ter a nossa atenção.

 

E custa ignorá-lo!!! Vendo como ele fica feliz quando me vê. Mas para bem de todos assim tem que ser. Pelo menos até ele interiorizar que não é assim  que se obtém o que se quer. Ah! E não ralhar, nem castigar, que além de ser contra o princípio do reforço positivo, também porqueatenção negativa é melhor do que "não atenção", o que para eles se resume a "Tenho atenção consegui o que queria. Vou continuar! Porreiro!". O pior é convencer algumas pessoas a fazer EXACTAMENTE isto. É que há gente que se sabe queixar dos pulos e do seu ímpeto, mas fazer o que se deve fazer? Está quieto!!!

 

Quanto ao não correr atrás de exemplares de 4 patas. Simples. Reclamar a sua atenção com engodo. Comida. Este tipo vende-se por comida!!! Passa um cão e o que é que fazemos?

Mostramos um punhado de ração e vamos premiado a sua atenção em nós, e não no outro canino, com comida. E tem corrido bem!

Além disso, deixamos de dar de comer em comedouro. A sua dose de alimentação diária é distribuída ao longo dos passeios sempre que ele mantém contacto ocular connosco mostrando que está atento em nós.

 

Pronto, isto é a resolução de problemas importantes para que o nosso convívio seja de salutar. Ou seja, entrando na sua mente, ele estava a ter reforço para pular e para correr atrás de canídeos! Tudo ao contrário!

 

Além disso alguns "truques" lhe foram ensinados. Isto porque todos os treinadores têm este hábito de ensinar truques. E é giro ver o nosso Tobias a fazer de urso, a andar para trás, e outras coisas mais. Mas colocou-se-me a questão; será que não estaremos a exagerar?

 

Uma coisa é aprender a comunicar com ele e indicar-lhe bons hábitos de convivência com humanos, outra será fazer dele exemplar de circo. Ou serei eu que estarei a exagerar e eles necessitam deste estímulo mental, segundo dizem os treinadores? Será que não andamos a exagerar, e até contra mim falo, coisas que fazem dos nossos animais de estimação mais robôs e menos cães?

 

Seja como for, as minhas tentativas serão sempre para lhe ensinar coisas úteis. Como apanhar objectos do chão, levar compras, fechar portas... Assim mantém o tal estímulo mental e faz algo com utilidade! Que acham?

 

Para já é cumprir o "protocolo de treino" estabelecido à risca.

 

 

 

Há dias....

 

Há dias em que deveria não sair da cama... embora mesmo assim corresse um sério risco de me cair o tecto em cima da cabeça!

 

Hoje foi um desses dias.

 

Desde há uns tempos, talvez com o aumento progressivo da idade, que fiquei madrugadora e uma das razões porque o faço se prende com o facto de ter um canito a precisar de esticar as 4 patas de manhã. Ele estica as 4 e eu aproveito e estico as duas que tenho. Faça chuva ou faça sol eu saio sempre com ele. A nossa pequena volta matinal dura aproximadamente 15-20 minutos, ele sai renovado e eu mais ainda. Há quem diga "Que seca ter que sair com o cão todos os dias!"

 

Não acho seca. E se assim não fosse nunca faria esse tipo de exercício que acaba por ser bom para a minha saúde e ajudar na minha recuperação já de si bem lenta (para quem acompanha o blogue deve lembrar-se deste post).

 

Lá me levanto cedo, arranjo e sigo para a volta matinal, para depois ainda poder descansar um pouco antes de iniciar o meu dia de trabalho.

O cão é companheiro e um querido, todos os dias sigo com ele pela trela que ele sabe que nunca deve puxar, e não o faz quando sou eu que o levo (abusa mais com os meus homens). Hoje, maldita a hora, resolvi  tirar-lhe a trela...

 

Por pura e estúpida burrice minha!! Como ele foi castrado e tem andado a fazer menos exercício (ia tirar pontos amanhã) eu hoje num passeio mais largo em que ele costuma andar  junto a mim, parando pontualmente para cheirar algo interessante mas juntando-se a meu lado rapidamente. Resolvo,  mal passamos a passadeira, estupidamente, tirar-lhe a trela e sem que eu pudesse reagir o tolo sai disparado para cumprimentar um homem, que ele até nem conhece, que estava do outro lado da rua à beira da estrada. Um carro passa e o atropela!!! Vê-lo a ser arrastado sem na poder fazer é de arrepiar a espinha.

 

A senhora do carro não vinha com velocidade (felizmente) mas na travagem brusca as rodas derrapam e apanham a sua pata traseira direita arrastando-a pelo asfalto. Ele ladrou ao carro e para todos os que se tentavam aproximar, saiu correndo a sangrar e aflito. Sem saber para onde ele foi a minha aflição  e preocupação aumentou...

Quanto cheguei a casa para buscar a ajuda de meu marido felizmente o meu peludo estava sangrando à porta de casa ganindo alto e com ar esgroviado. A pata estava de forma que não vou descrever por aqui.

Ele acalmou-se com nossos carinhos e deixou que lhe fizesse um penso compressivo, a única coisa que podia fazer até que que  fosse observado pela Veterinária que já tinha sido acordada por mim e se deslocava à clínica.


Para piorar meu marido tentando meter-lo no carro, e para que o cão não se aleijasse, deu um jeito nas costas e ficou ele também mal... Além disso eu também fiquei pior com estas andanças todas! Há de facto dias em que o melhor era não sair da cama!

Neste momento está ao meu lado gemendo volta e meia. Na Clínica tiraram tecido desvitalizado e que iria necrosar, e ao que parece conseguirão salvar a patinha. Tem uma fractura pouco grave em uma falange e o joelho também parerece ter sofrido, mas nada grave. O pior é que ficou sem suporte de pele nenhuma e poderão mais tarde de ter que fazer um enxerto. Um tendão também ficou afectado.Temos trabalho para um mês e só vendo o que acontecerá daqui para a frente.

 

E ainda há quem hoje me tente apaziguar falando em destino... Garanto-vos, não resulta! Ok?

 

Imagens retiradas da net, obrigada a quem as disponibilizou

Pela positiva!

Cão Elástico (esteve na nave dos 4 fantásticos, ele é o 5º!)

 

 

Outra vez cães?

 

Sim, outra vez. Sempre serão melhor assunto que falar de Coelhos.

 

Este fim de semana fui a umas Jornadas de Comportamento e Treino de cães. Não eram novidade para mim os conceitos ali abordados mas pude tirar algumas dúvidas com uma treinadora Portuguesa com muita experiência e que é fervorosa adepta do Treino Positivo. A Claudia Estanislau.

 

Muitos ainda treinam, ou dão a treinar, à base do castigo. Nada mais errado!! É o método mais curto para perdermos a confiança do cão e para lhes criarmos danos psicológicos, muitas vezes, irreversíveis! Se bem se lembram eles sentem. Apesar de não serem pessoas.

 

Uma das técnicas usadas é o que os treinadores designam por "luring" ou em português (mais coisa, menos menos coisa) - engodo-

Podemos também usar o "clicker"  que emite um  som, um clic, que indica o comportamento que desejamos captar.

 

Pretende-se colocar o cão, ou animal, porque dá para outros animais, tais como: baleias, focas, leões marinhos, golfinhos, ratos, ... na posição que se pretende com a ajuda da recompensa e do clicker. Não sei se dá para Coelhos. Mas ao que parece são animaisinhos impossíveis de treinar!

 

Dando o como exemplo o "senta", o que se  faz é colocar uma recompensa numa mão e o "clicker" na outra, erguemos a mão da recompensa por cima da cabeça do cão, não muito alta, de modo a que ele a possa cheirar, ao levantar a cabeça automaticamente se senta e nós clicamos mal ele adopte a posição de sentado, e assim ensinamos o senta. Simples e eficaz! Associamos a este comportamento desejado um gesto e um comando verbal, que pode ser o "senta" (mas pode ser outra, embora esta seja a mais óbvia), enfatisando as sílabas "Sen-ta". Nada mais que o princípio do reflexo condicionado.

 

Claro que eu estou a dourar a pílula. Primeiro temos que "carregar o clicker", que nada mais é do que associar aquele som a uma recompensa. Depois é necessário saber resolver problemas, pois nem sempre eles se sentam lindos e direitinhos mal colocamos a recompensa acima do focinho. Também há que saber ler os sinais corporais do cão. Mas garanto que é um método eficaz e muito melhor que o reforço negativo.

 

Além disso, é óptimo vermos o nosso cão a evoluir com o que lhe ensinamos e a nossa ligação com ele torna-se única. Ele aprende a "ler-nos" e nós a eles.

 

Deixo dois vídeos. Um que ensina um cão a fazer o "dá cá mais cinco" ou "choca aqui".

 

E outro que mostra que este método pode ser usado com outros animais.

 

Pessoas ou não?

 

O meu cão protegido com cinto de segurança

 

OK. Admito, sou uma amante dos animais em geral e dos cães em particular. A verdade é que, e não é a primeira vez que o digo por aqui, devíamos perceber que devem ser respeitados. Todos!

Julgo que nesta fase dos acontecimentos não é necessário nenhum estudo demasiado elaborado para perceber que eles têm sentimentos. Eu tenho, e tive a prova disso, uma delas está sentada acima com ar de reizinho mimado.


O meu antigo companheiro canino, que esteve connosco 13 anos deixou de comer quando fui hospitalizada. Saía de perto sempre que ralhávamos ao mais pequeno, notando-se que lhe incomodava, lambia-nos as mãos sempre que nos via tristes ou doentes. Isso é ter sentimentos, e mais, é ter empatia! Coisa que muito ser humano nem sequer sonha o que é!

 

Mas hoje fiquei boquiaberta com um título, no mínimo estapafúrdico,  no Jornal Expresso "Os cães também são pessoas, prova estudo científico"! Ao que parece alguém fez um estudo com cães, realizando-lhes ressonâncias magnéticas,  e verificou que o funcionamento do cérebro destes é muito similar ao do ser humano. E apela que por causa disso eles não devem ser tratados como propriedade.


Mas será que por isso são pessoas?

Afinal o que é ser pessoa?

E só se deve respeitar as pessoas?

Estarei  complicar?


Caramba, não fiz nenhuma ressonância magnética a nenhum suíno mas parece-me dizer que também têm sentimentos!


Mas eu já sei há muito que o cão não é meu, eu é que sou do meu cão! Tentem lá dizer que não!

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D