Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

A profissão dos masoquistas

Cumpre-se hoje o primeiro de dois dias de greve da classe de Enfermagem. Uma profissão mais do que desvalorizada no nosso país. Muito lutaram os Enfermeiros para chegarem onde chegaram. Lembro que passou a ser uma Licenciatura, a sociedade começou a vê-los com olhos de ver, porque até aí a opinião pública era de depreciativa. Enfermagem era considerado um curso menor e de segunda. Aliás penso que muitos ainda o consideram assim, infelizmente.

 

Muitos se esquecem de que quem está ao lado do utente, no internamento, 24 horas por dia é um Enfermeiro. Muitos se esquecem que é a mão deles que se segura quando se está na agonia da morte. Nunca percebi a desvalorização desta classe. Só podemos ser uma sociedade que está mesmo no buraco!

 

Nos cuidados de saúde Primários os Enfermeiros estão na linha da frente na promoção e educação para a saúde. É do Enfermeiro que, muitas vezes, o utente se sente mais próximo. E com a exigências colocadas aos Médicos de Família, os "faz tudo", a Enfermagem ajuda a segurar um barco difícil de navegar.

 

Neste momento as exigências são mais que muitas e as responsabilidades também. Para além de que não se pode esquecer o risco profissional inerente à profissão. E o que o Enfermeiro recebe ao fim do mês não condiz com o que trabalha e com a responsabilidade que tem nas costas.

 

Para mim o desgaste a que esta profissão esta sujeita deveria colocá-la fora do saco das 40 horas semanais. Mas o que na realidade acontece é que temos Enfermeiros com duas ou três folgas por mês! A realizarem cerca de 50 ou mais horas de trabalho! Existem serviços em que há profissionais a realizarem manhã seguida de tarde, já que faltam colegas. Turnos em que reduziram ao número de Enfermeiros. Há profissionais que não podem programar a sua vida, que deixaram de ter o direito de possuir, porque constantemente há mudanças nos seus turnos e são avidados em cima da hora o que vão fazer no dia seguinte. Isto consoante o número de utentes aumenta ou diminui no internamento! Não existe um número de enfermeiros certo para cada turno! E Enfermeiros são lá pessoas!? Podem lá ter vida privada! Tudo contra a lei! Mas essa para algumas Administrações  Hospitalares não existe, e o que prevalece é a lei da selva! E ,claro, a dos números que lhes interessem!

 

E se acontece um erro? Quem paga?

O profissional exausto, claro!

Tudo se tem aguentado por zelo profissional, por necessidade, e por masoquismo.

 

Sim masoquismo. Tudo me faz crer que a Enfermagem é uma classe de masoquistas. Sai-lhes do corpo e da alma o que fazem e não há quem veja e valorize isso!

 

Hoje é dia de greve... nada mudará... sexta feira quando tudo voltar ao normal continuar-se-á com a sensação de que nada vale a pena...

Mas ainda temos o direito de, através da greve, chamar à atenção para esta classe. Quanto a mim um despedimento colectivo, à semelhança do que já aconteceu noutro país, é que se ouvia o que a Enfermagem grita há muito tempo. Mas são pouco unidos e tudo continuará igual por causa disto. E a corda vai rebentar. Partinto para o mais fraco... sempre

 

E iremos sempre ouvir quando se diz

 

"Sou Enfermeira!"

 

"Puff! A sério?!"

 

Pois... profissão rasca e de segunda... Mas saibam que na Europa os Enfermeiros Portugueses são os mais procurados e que as médias de entrada não são nada baixas!

 

 

Sou tão injusta...

Ando atrasada nos artigos, eu sei, mas o tempo não estica... eu bem tento esticar, mas...

 

Não quis, no entanto, deixar de falar sobre esta a notícia que li ontem e me fez suspirar de alivio, ufff!! Afinal o Sr.Ministro da Saúde está disponível para encontrar melhores soluções para os enfermeiros! Isto depois da notícia, nada novidade, que os enfermeiros estão a ser contratados por 3,96 euros! E eu fui tão injusta e escrevi um artigo a "desancar-lhes"!

 

Taditos! Nem o Sr. Ministro sabia que os enfermeiros, que ele considera pilar da saúde, um pilar em muito mau estado, já agora, estavam a ganhar muito abaixo do que deviam, sim, estão a receber há anos como bacharéis e são licenciados, e isso tem sido uma luta da enfermagem desde há muito tempo, mas claro, ninguém sabe disso no Ministério. Assim como a ARS de Lisboa e Vale do Tejo também não teve culpa nenhuma por esta contratação, no mínimo, escandalosa! 

 

E mais, a Ordem dos Enfermeiros está finalmente a mostrar que existe! Esperemos que pelo menos a mudança de Bastonário traga alguma coisa de positivo a esta classe, porque dos outros lados... humm... parece-me que podem  esperar palavras vãs!

 

Estarei a ser injusta? A ver vamos!

Pode ser que o futuro de enfermagem tenha então razões para sorrir...

Imagem retirada daqui

Haja quem os ature!!

 Imagem retirada daqui

 

Ando sem paciência. Sem paciência para aturar a deprimência a que nos fazem chegar.

 

Ora, eu não sei mas acho que sai caro ao Estado investir na formação qualificada de jovens, e presumo que não saia muito barata ao estado uma licenciatura. E esse investimento é deitado ao charco quando fazem com que estes mesmos jovens, agora profissionais licenciados, queriam pôr-se a milhas de um país que não os valoriza! De um país onde não são reconhecidos e onde são pagos muito abaixo do razoável.

 

Abri o J.Público e dei logo de caras, não, não foi com a notícia da vitória da Espanha, já agora parabéns. Mas com a notícia de enfermeiros subcontratados pagos a 3.96 euros à hora!!!

 

Bem, eu acho que com menos responsabilidade, e não querendo de forma alguma desmerecer o serviço de mulher a dias, mas mais vale optar por esta via. Já que ganham, na maioria dos casos, porque há quem ganhe mais, 5 euros/hora.

Quando uma senhora a dias vai para casa não tem que ler resmas de revistas, artigos e livros para se actualizar. Quanto mais terá que saber o melhor produto de limpeza. Um bom enfermeiro lida com a morte, vive com os seus doentes, preocupa-se com eles e com o seu bem estar e tem, sobretudo, formação qualificada para agir promovendo a vida e o bem estar do ser humano. Parece-me mau desmerecer esta profissão.

 

A profissão de enfermagem evoluiu imenso e o ensino de enfermagem em Portugal está cotado como um dos melhores da Europa, fará sentido "empurrá-los" literalmente para o estrangeiro? Fará sentido tratar assim os profissionais.

 

Aliás, os enfermeiros continuam a receber como se tivessem apenas o bacharelato, mas foram todos obrigados a tirar a licenciatura, mesmo os que já estavam mais do que integrados no mercado de trabalho. E agora isto?

 

E a Ordem dos Enfermeiros? Onde anda ela? Existirá só para cobrar as cotas e ao que dizem "regularizar a actividade"? Então e isto é regular??

Olhem se fosse com os médicos! A Ordem dos Médicos já os tinha posto a cantar o fado com as letras todas!

 

Eu juro, eu bem tento compreender estas manigâncias todas governamentais! Onde se "injecta" dinheiro em bancos fraudulentos e se ejectam profissionais qualificados para esta tristeza.

 

E ficarão os que não conseguem MESMO sair daqui.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D