Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

Desafio!?!

 

Não raras vezes existe uma célebre frase dita por Eisntein que ecoa na minha mente “Duas coisas são infinitas: O Universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao Universo, ainda não adquiri a certeza absoluta!”. E na minha curta passagem por este mundo não há dia em que eu não confirme isto, que até pode ser considerado uma máxima. A estupidez humana é mesmo infinita!

Ignorante como sou nestas lides cibernéticas, Twitcenas e Facetretas, descobri que existe uma coisa chamada de “Neknominate”. E o que à partida até parece um feitiço retirado da saga Harry Potter, não é nada mais, nada menos, do que, o que muitos, denominam de um “jogo do azar”. E que eu prefiro chamar “apogeu da estupidez”!

E de trata este tal apogeu de estupidez?

Ora, é um jogo que tem página de comunidade no Facebook! Mas este não é um jogo com bonequinhos lindos e fofinhos ou daqueles que tem que se plantar coisas e depois colher (quais agricultores virtuais, a nova moda Séc. XXI), não! Este é um jogo que incentiva ao consumo de álcool no menor tempo possível. Mas não um ou dois copitos. Isso é para os fracos! É beber à séria! E depois de estarem mesmo bêbados terão, os "heróis", que praticar um desafio/ loucura/palermice qualquer e filmarem-se! Para quem sobreviver à façanha deve colocar o respectivo vídeo “online” com a hashtag#neknominate e um título apelativo. Depois? Depois é só esperar que haja um estúpido, coisa que não falta por aí, que supere a proeza em 24 horas!

Para além de fazer mal ao fígado parece que “jogar” a este neknominate pode levar também a uma morte precoce. Nada de mais para quem não dá três tostões velhos pela sua vida!

Na Irlanda já existiu um herói de 19 anos que resolveu participar. Jonny Byrne embriagou-se, atirou-se a um rio e desapareceu durante umas horas. Reapareceu com a bebedeira curada e sem vida. Superou-se! Mas existem mais a decidirem que afinal a vida não vale a pena se não existir uma valente estupidez terminal pelo meio. Talvez se poderá dizer que os que vão não fazem falta, mas tristes dos que ficam...

Que faltará a esta gente? Para além daquela massa cinzenta que costuma estar alojada no crânio!

Muitos se insurgem contra o facebook. Mas será o facebook que terá a culpa? A utilização deste não dependerá de quem está por trás de cada monitor? Da educação? Da sociedade?

Não sei quando a vós mas eu tento não ficar assustada com esta juventude, com esta sociedade, com tamanha estupidez! Mas há dias que o meu tento pasma e fica de boca aberta esperando que isto seja retirado de um argumento muito imaginativo de um qualquer filme Hollywoodesco!

Ao que parece a vida deve ser vivida no limite e a tresandar a adrenalina. Começa-se pela montanha russa depois passa-se pelo parapente, paraquedismo, rafting, o bumby jumping… Mas como nessas a morte é algo que só ocorre quando a coisa corre mesmo mal, e até tem regras de segurança, então há que inovar! E aliar a adrenalina à estupidez aguda! E obtemos coisas como esta do neknominate. Fácil não é?

 

Imagem retirada da internet

Como é que o céu nos pode cair em cima da cabeça?

 

É extraordinário como me tenho lembrado da célebre expressão dos meus amigos que tantas gargalhadas e momentos divertidos me proporcionaram, Astérix e Obélix, que homenageei entrando para a Blogosfera com o meu nome “Golimix”. Este espaço virtual que nada mais é que uma pequena aldeia intrépida que vai resistindo hoje e sempre ao FaceCoiso e ao Twitecoiso e a outros coisos que virão.

 

“Que o céu não nos caia na cabeça!”, parecendo vulgar esta expressão tem muito que se lhe diga, e há de facto alturas em que o céu se atirou sem para quedas e se estatelou em cheio no nosso escalpe!! O céu todo pode não ter caído mas garanto que uma nuvem negra raspou por aqui bem certeira e a toda a velocidade!

 

E na tentativa de não perder o espírito positivo, a calma que entretanto se aprende a ganhar, o bom humor, … Eh, pá! É que chega a alturas tantas que tocando no braço se percebe que não se é de ferro… nessa tentativa, onde muitas vezes o real a faz parecer vã e diminuta, vamos passando os dias e esperando que amanhã não haja mais um pedaço de céu que se descole e caia vertiginosamente na direcção de onde nós começamos, isto se não estivermos a fazer o pino, é claro.

 

É necessário, nestas alturas de desabamento da abóbada celestial, um certo poder de encaixe que muitas vezes não se sabe bem onde encontrar. Proponho que comecem a fazer parte da época de saldos já que é premente a sua necessidade de distribuição à população em geral e a mim em particular.

 

Ter guardado no sapatinho, mesmo para o dia de Natal, o internamento hospitalar de urgência,e que ainda se mantém, dos dois progenitores não é pêra doce. Aliás, e a bem dizer, não é doce nem fruta nenhuma! Espero que para 2014 haja mais fruta e mais doce... É que nos entretantos parece que o Murphy resolveu dar de caras outra vez!

 

Apesar de saber de antemão que não existirão melhorias, em um dos casos, é difícil perceber até onde o ser humano pode suportar? Até onde conseguimos ver aquele que nos criou deixar-se ir mesmo mantendo a parte do corpo, embora este já esteja envelhecido.

 

 


Imagem retirada da net, obrigada a quem as disponibilizou

Curtas

 

O controle anti-doping é realizado nos meios desportivos. O meu filhote, de 12 anos, para jogar na equipa de Hóquei tem que realizar este tipo de controle, que nada mais é que verificar se existem substâncias que influenciarão o desempenho desportivo.

E hoje, lendo a revista Visão e mais uma vez confrontada com as célebres frases do economista João César das Neves, tive uma ideia!

 

Acho que este controle, que não á mais que a procura de substâncias proibidas, deveria ser alargado a quem emite comentários tristes como os do senhor em causa. Porque dizer que:

 

 «Aumentar salário mínimo é estragar a vida aos pobres»

 

ou que, "A maior parte dos pensionistas estão a fingir que são pobres"

 

Isto só pode vir de quem andou a "meter" para a veia! Ou  então de quem está com alucinações, ou de quem está com algum problema mental.!

 

Podem não acreditar mas estou mesmo preocupada com o senhor! É que pode estar com algum problema neurológico ou mental grave e ninguém lhe dá ajuda! Eu tento acreditar que ninguém com o juízo perfeito, sem substâncias ilícitas no organismo e sem nenhuma doença neurológica diria alguma vez coisas extraordinárias como as que ele disse!

Sinais positivos

 

Já sei que depois de escrever este post vão correr a telefonar-me com o conselho do costume.

Não leias o Jornal que te faz mal!

Mas que querem? Não aprendo! E burro velho tem uma certa dificuldade em mudar alguns hábitos.

 

Vai daí, a burra velha aqui, lá começou a ler o Jornal. Claro que sendo já eu uma pessoa taquicárdica sinto a mesma a  agravar-se durante a leitura, quase a ponto de sair fumo das pelos ouvidos! Tenho que ver quem irei processar se me der um ataque... o Jornal? Os Jornalista? Ou os causadores da notícia? Ora aí está uma coisa a pensar... Aceito sugestões.

 

Deixando as dúvidas existênciais e passando ao cerne do post. Uma das muitas notícias que me deixou amofinada, e garanto não gostariam de me ver assim, foi uma das que chama a atenção sobre a descida do desemprego de há uns meses para cá.

 

Óbvio que os senhores da Política, na voz de Pedro Mota Soares, se apressam logo a dizer, quais hienas famintas por boas notícias, por algo que os tire da lama onde se, e nos, enfiaram. Esse senhor disse que: “Estes são sinais positivos que dão esperança e confiança para continuar a trabalhar para criar mais postos de trabalho, combater o desemprego, promover a contratação, que são as primeiras prioridades do Governo”. 

 

Agora tento ousar, e perguntar. Ele está a contar com os que suicidam com o desespero e com os muitos debandaram desta loucura? É que esses não estão inscritos como desempregados! Querem enganar quem???

 

 

Imagem retirada da net, obrigada a quem a disponibilizou

 

A reconsiderar o povo.

Tempo quente este! Estamos de facto com temperaturas superiores ao normal num verão que todos diziam que não ia ser grande coisa. Mas tem-se revelado. Revelou-se que o irrevogável pode ser revogado e que se adiam antecipações. E aguenta-se...

 

Mas há cúmulos! Há um ponto em que de facto se chega ao cúmulo.

 

Hoje na Assembleia da República onde se encontram deputados eleitos pelo povo, ao que tudo indica ainda estamos numa democracia. Após uma manifestação de alguns populares, tudo bem compreendo que interromperam os trabalhos, os trabalhos que nos fazem aguentar, mas pergunto: Quantas vidas estão interrompidas?

 

A democracia tem destas coisas, destas interrupções! Eu sei, a democracia às vezes incomoda e chateia. Mas ouvir dizer a Senhora Presidente da Assembleia “Teremos de reconsiderar as regras de acesso às galerias”! Assunção Esteves uma senhora que se reformou aos 42 anos, note-se. Atingiu-se na realidade um cúmulo! Restringir o acesso às galerias que são do povo!?! Do Povo que ingenuamente os mantém ali!! E pior. O pior é que ela foi aplaudida ao proferir estas palavras! Que pelo menos a mim me atingiram que nem um raio. Sim. O fim está lá. Eu estou a vê-lo bem de perto.

 

Apesar de ser discutível a manifestação nas galerias aquelas palavras NUNCA deveriam ter sido pronunciadas.

 

 

Para quem gostar de filmes de terror, depois do suspense de ontem,  pode ver o vídeo aqui

 

E o tempo continua a aquecer...

 

Tentem não ter medo... muito medo!!!

 

 

 

Imagem retirada da net, obrigada a quem a disponibilizou

Façam o favor de se cuidar

Imagem retirada da net

 

Eu não queria, juro que não queria voltar a falar, pelo menos até ao final do ano, novamente na desgraça que nos envolve.

Eh! Páh! Mas é que é demais! Não dá para aguentar tanta, mas tanta audácia! Tanta gentinha que antes de falar devia pensar duas. Não! Três vezes antes de abrir a boca. É que em época de falta de moscas é certo e sabido que vai sair asneira!!

 

E agora  a vez coube ao Secretário de Estado da Saúde que diz que as pessaos devem recorrer menos aos serviços de saúde para garantir a sua sustentabilidade!

 

É certo que só devemos recorrer às urgências quando realmente for urgente e não ao primeiro espirro, mas não me parece que seja a isso que o senhor Secretário se refere. E claro, é mais do que certo que  devemos ter comportamentos saudáveis! E ainda que devemos prevenir as doenças. Mas o que pensa fazer o Estado para que a população adquira os conhecimentos necessários necessários à prevenção da doença e à promoção da saúde? Sim! Não estou a ver ninguém a ficar doente só para fazer birra!

Pensa investir à séria nos cuidados de Saúde Primários?

Ou vamos continuar nesta mania louca de cortar a direito não ligando a quê?

 

Será que não se percebe que o melhor ganho, neste caso, é na  qualidade de saúde individual que todos ambicionam? Salvo excepções, excepções essas que também precisam de cuidados, mas em outro âmbito. Será que não se percebe que é esse o maior ganho? E  em segundo plano a poupança que vamos fazer ao Estado? Estado esse que se coloca à frente do bem estar da sua população! Do povo que incautamente o elegeu!

 

Não é só atirar do púlpito, "Não adoeçam! Seus cretinos! Não vêm que estão a gastar mais dinheiro! E façam o favor de se tratar em casa com mezinhas! Nada de recorrer aos SNS! Estão a gastar o precioso dinheiro dos impostos. Não vêm que não dá para comprar frotas de carros e arranjar os luxos com que nos banhamos e para que vocês também adoeçam? E não refilem. É esse o preço da democracia!"

 

Ironia a mais? Será?

 

Deixem-se, por favor, de demonstrar tanta ignorância! Como é lógico todos os países, todos os Estados, deveriam querer evitar que as suas populações adoecessem, mas para isso é necessário investir nos cuidados de saúde primários. Investimento esse que trará a longo prazo grandes ganhos, em primeiro na saúde geral da população e sem segundo, desculpem, sempre em segundo (mas não menos importante),  poupança no resto. Mas nós sabemos que nenhum Governo está habituado a pensar em longo prazo, não é? Muito mais agora que o que se pensa é resolver o imediato.

 

Nós sabemos isso, mas não precisam de nós lembrar com essas palavras ingénuas. Tentem lá pensar muitas vezes antes de abrir a boca, POR FAVOR. Tenham cuidado com o que vão dizer a uma população ferida, doente e sem alento.

 

 

 

Portugal? Fundo... fundo...Não! Mais Fundo, pá!

Portugal resolveu andar viradinho das avessas, é que não há quem aguente este raio deste feitio!

 

Então não é que o tipo acha que não  devia pagar a asneirada da grossa do BPN? Coitadinhos então pode lá ser!?!? Eles que trabalham tanto para nós andarmos na pelintrice e agora não íamos ajudá-los!

 

Ainda por cima parece não saber valorizar as palavras sábias e completamente solitárias do senhor Primeiro Ministro, que depois de bojardar um "Custe o que custar!!!", agora vem dizer que afinal está a custar muito, não a ele entenda-se, porque temos obrigação de lhe pagar todas as despesas e de ter empregos para todos os amigalhaços e gente da mesma cor, sim, porque misturas não ficam bem na tela.

 

E como se não fora pouco andam para aí estes tipos, a classe abaixo da alta, a dizer que querem direitos de trabalho? Como? Estão mas é doidos!

Mas quem os mandou ser da classe baixa? Fossem para administradores do BPN, ou para a política! Para a política mas para bons partidos, daqueles que se revezam e que andam sempre juntinhos, vota-se o que se esteja a votar estão sempre de acordo, mesmo que às escondidas se diga que não! Porque às claras e na hora do "vamos ver" vemos de que massa é feito o pão! E mais! Os "maus comportados" , os que deviam estar calados mas resolveram falar, a esses? Não se lhes liga, coitados...

 

Está doido! Acham que Portugal deve ter feriados, trabalho extraordinário justamente recompensado, férias?

Por falar em férias anda-se a ruminar maneira dessas  acabarem, os fins de semana chegam! Fins de semana... hummm assunto a ver.

 

Indemnizações? Indemnizar porquê? Então não sabia com quem se estava a meter? Bem se disse para emigrar, mas quiseram ficar aqui...

 

Facilidades de despedimento, claro! Então? Há que ter sempre um trunfo na manga, afinal já não se pode contar com a ajuda da PIDE.

 

Mas Portugal o que quer? Só tem o que merece! Bata mais que ainda não está a sangrar! Só está a doer um cadito mas não se preocupe que não é nada!

 

Tentativas? Zero!

Abstémias? Algumas,afinal ninguém está para se maçar, dá trabalho... O resto? É mesmo isso resto, os insurgentes do costume!

A ganhar? O caminho que leva direto ao poço, com uma pedra amarrada à perna. Agora? Tentem sair!

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D