Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

Eu tento, mas meu tento não consegue!

Sabendo que nem sempre vou conseguir ir aos vossos espaços, mas nunca vos esquecendo e sempre tentando...

No olhar te vejo

Imagem retirada da net, obrigada a quem a disponibilizou

 

No desespero do olhar, te olho,

te vejo e nos vejo.

No desespero de quem luta

de quem sonha, de quem anseia

 

O desespero de um povo que quer crescer

mas não cresce,

quer fazer,

mas não faz,

quer sonhar,

 e não se permite ao sonho...

 

No desespero do olhar te vejo

mas não nos vejo...

Já não nos vejo, deixei de nos ver

sempre que te negas a existir

 

Agarra esse olhar e solta o desespero.

Deixa-o fugir, aniquilar-se, e arder

nas chamas da incerteza.

Pega no desespero e transforma-o em coragem!

 

Lina Maria

 

 

Vãs tentativas de soltar a palavra.... tentei...

 

 

 

 

 

Para quem gosta de lagartice

Não! Não vou falar do Sporting! Depois desta tenho os sportinguistas à perna =) (Mano espero que não leias este artigo)

 

Vou falar de lagartice no sofá, já que o tempo nos anda a trocar as voltas, tenho para mim que anda de conluio com o Governo. Enfim... para quem gosta de mantinha, de sofazito e de umas bolachinhas, nada melhor que acompanhar todo este conforto com um livro, e aqui deixo a sugestão de um,

Como não sei se o encontrarão à venda e sei que a poetisa irá lançar outro, "Pequenas Utopias"  a 04 de Maio no espaço Garret em Grândola, esta certamente será uma boa altura para o adquirir. Maria João Brito de Sousa, que conheço da blogosfera, e que deve ser um doce de pessoa, de certeza estará lá, só é uma pena que eu não possa conhecê-la pessoalmente e pedir um autografo ;), mas estarei lá com toda a minha energia a dar boa sorte ao lançamento.

 

Sei que a poesia não é o género literário preferido de muitos, mas deixo um trecho de um dos meus poemas preferidos, do livro que tenho, só para abrir o apetite,

 

VIVER APAIXONADAMENTE

 

Paixão. Viver a vida sem paixão

é quase não viver, é só passar

por este nosso mundo sem deixar

um rasto nesta estranha imensidão....

 

É deixar por metade a construção

do edifício da "vida" e abandonar

a razão de viver. É não sonhar

que o mundo inteiro está na nossa mão!

 

Viver sem ser apaixonadamente

passar e não olhar, ser indiferente,

é ser mais pobre ainda, é não ter nada!

 

É ser-se "nada" e ter forma de gente,

é não ouvir esse apelo premente

da vida que nos chama, apaixonada....

 

Maria João Brito de Sousa

 

O meu tento pensa que embora a vida nos faça dar tropeções temos que arranjar maneira de nos deixarmos seduzir por ela para que nos apaixonemos outra vez, afinal só temos esta... "inté" ver =)

Poetisando a crise

Irei estar calada,

irei ver-te calar,

Irei ver passar o medo por defronte.

Ver passar a coragem que foge

o grito que emudece

a canção que não se canta

o nada que não encanta

o tudo que entorpece...

Nesta terra que enterra

a esperança, que semeia o medo,

que vê engrandecer a mudança que não pediu,

que vê partir as glórias que sonhou.

Onde estão as pessoas desta terra?

Onde estão os valorosos que se debateram?

Onde estão os grupos unidos,

os gritos sonhados?

Custe o que custar

Fazei-os emergir das suas vozes caladas

que sufocam a cada dia, a cada passar de tempo.

Este tempo corrido que não pára, num momento que parece eterno.

 

O meu tento anda poético e melancólico, esta fase passa, assim como tudo que passa a correr. Gostava, no entanto, que alguns momentos passassem mais a correr que outros, será que alguém pode dar uma ajudinha a soprar estas marés?

Vou poetisando a crise, pelo menos assim talvez esta maré passe mas rápido e eu sinta que faço algo, nem que seja pelos meus pequenos dedos.

Suavemente...



Que a dor seja breve,

que a vida seja lenta,

que o coração viva,

que a angústia passe,

que o sofrimento não perdure,

que o amor exista,

que o sorriso enlouqueça,

que o olhar aconchegue

e que  tua música ... que a tua música seja suave...


Suave como a bela voz de  Roberta Flack


O meu tento fica assim...  embalado nesta bela voz e tentando embalar quem precisa de um afago

Quebrem os vidros!

Imagem retirada do Jornal Público

 

Será que não existem pedras para quebrar os vidros?

É que está a ficar abafado por aqui!!

 

Pedras existem

falta quem as queira atirar

quem será o primeiro

com coragem de mudar?

 

Quem será o primeiro

com a pedra a atirar?

A pedra é feita de ações,

a pedra é feita de corações!

 

Mas ninguém quererá

a pedra a tirar,

ninguém irá quebrar

e o vidro estraçalhar.

 

O vidro é fino

diz o povo!

O vidro é fino

e não é novo....

 

Será que ninguém o irá quebrar?

 

O meu tento procura a pedra com que o vidro irá quebrar, mas existirá alguém com coragem e vontade de mudar!?!

Nada...

Hoje não me apetece falar, coisa rara, devo estar para "chocar" alguma...

E daí... Talvez fale! Sobre NADA...

 

Um nada que existe

um nada que chateia 

um nada que ganha forma

que se esconde na palavra

que se emaranha nos Homens

que explode nos corações

 

Ou então, falarei do NADA....

 

Do nada que se faz

do nada que se espera

do nada que nos dão

do nada com que nos deixam

 

Entretanto surgiu-me a ideia de falar do NADA...

 

Do nada em que se transformou a RTP

e do nada pelo qual vai ser vendida!

 

É... Se calhar é melhor o meu tento continuar calado a não dizer, nem pensar, NADA!

Coisas que eu gosto

Gosto dos dias deitados na preguiça do nada fazer, nada pensar,

somente existir...

Gosto do cheiro da manhã e da terra molhada após uma chuvada de Verão.

Gosto do riso de uma criança, do sorriso sincero, do gesto meigo.

Gosto de saborear chocolate na lentidão da gula satisfeita,

de me sentir pequenina e imensa ao perder o meu olhar no mar.

Gosto da vida sentida...

das nuvens que fogem para deixar o céu azul.

Gosto da  deleitosa simplicidade de uma flor

do cheiro a pinho.

Gosto de gostar.

 

 Gostaram? =)

 

O meu tento faz uma estreia, meia poética, nesta renovação de visual do meu espacinho.

A força do Adamastor!

Preciso de força,

Força para soprar,

Soprar para bem longe!

A dúvida que pressiona, a tristeza que ensombra, a dor que se demora...

 

Preciso tornar-me no Adamastor

Soprar as más marés,

As más ondas

e ficar...

 

Ficar assim...

Assim em silêncio.

Só a existir no abraço do teu sorriso...

 

LMaria

 

E o meu tento fica assim... deixa assim este pequeno espaço com a força do Adamastor 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D